fbpx
teste

Consultoria em Gestão Empresarial: quais são os benefícios?

Você já pensou em contratar uma empresa de consultoria em gestão empresarial?

Este tipo de serviço tem como objetivo fornecer soluções para o seu negócio por meio de uma visão de outro profissional. O consultor ajudará sua empresa a continuar crescendo e a obter resultados cada vez mais satisfatórios.

Para saber mais, continue lendo este artigo para entender melhor o trabalho das empresas de consultoria em gestão empresarial e por que vale a pena investir neste serviço!

O que é uma Consultoria em Gestão Empresarial?

A consultoria de gestão empresarial é um serviço prestado por profissionais que procuram encontrar soluções que possam melhorar a implementação do modelo de negócio em questão.

Consultores diagnosticam a situação atual da empresa para entender como ela opera e identificar problemas e oportunidades de melhorias.

O objetivo deste tipo de consultoria é melhorar a eficiência dos processos de negócio, otimizar os recursos disponíveis e reduzir custos de forma inteligente. A consultoria de gestão empresarial também é muito útil em projetos de expansão de negócios.

Os consultores são especialistas em tópicos específicos que a empresa precisa desenvolver com mais cuidado. Portanto, ele geralmente é mais pontual e experiente neste campo do que os profissionais que já trabalham na indústria.

5 motivos para contratar uma consultoria em gestão empresarial

  1. Maior velocidade na obtenção de resultados

Sabemos que, em muitos casos, precisamos saber esperar para atingir as expectativas. Na maioria dos casos, o tempo necessário para atingir a meta está mais relacionado à experiência, conhecimento e recursos disponíveis para a equipe do que ao tempo em si.

Portanto, é inteiramente possível que duas pessoas diferentes, uma mais bem preparada com recursos suficientes e a outra menos preparada com menos recursos, atinjam os mesmos resultados em diferentes períodos de tempo.

A contratação de um consultor de negócios permite atingir os resultados desejados com mais rapidez, pois traz recursos importantes para a empresa, principalmente o conhecimento e a experiência do consultor.

2) Possibilita uma visão externa do negócio

Ao contratar uma consultoria em gestão empresarial, você garante uma perspectiva imparcial sobre a maneira com que a empresa é conduzida.

É natural que a liderança não veja os problemas da empresa por estar muito próxima da empresa. Isso ocorre porque muitas dificuldades estão diretamente relacionadas à gestão.

Nesse sentido, as empresas de consultoria fornecem uma perspectiva externa de profissionais que podem analisar de forma neutra o que está acontecendo na empresa.

3) Facilita a tomada de decisão

A orientação de um consultor experiente é uma oportunidade para tomar decisões com mais confiança. Isso é mais benéfico para os empresários, que dirigem a empresa por conta própria e têm grande força de vontade, embora não tenham muita experiência.

Lembre-se que qualquer decisão errada pode prejudicar o negócio, por isso apostar na consultoria de negócios neste momento é uma forma de ganhar mais segurança.

4) Mantém o foco no resultado

Com o turbilhão de tarefas ao longo do dia, os gerentes costumam deixar as ações voltadas para os resultados em segundo plano. Ficar em contato com consultoras é uma forma de se comprometer com o crescimento, pois o empreendedor refletirá constantemente sobre seu desempenho.

5) Ótimo custo-benefício

Contratar um consultor externo pode parecer um grande investimento, mas não é. Se o empresário calcular corretamente, ele perceberá o valor de um serviço, o que pode não só aumentar sua receita e reduzir seus custos, mas também beneficiar todas as suas decisões futuras.

Quem precisa de uma consultoria em gestão empresarial?

Contratar uma consultoria é ideal caso você tenha um problema que deseja resolver ou se existe uma oportunidade de negócio que não sabe bem como aproveitar.

Na realidade qualquer empresa pode se beneficiar de uma consultoria, já que esse olhar de fora traz insights importantes para o futuro de qualquer negócio.

A consultoria em gestão empresarial pode estar relacionada a vários âmbitos da empresa: gestão financeira, vendas, estratégia, recursos humanos, contabilidade, processos, etc

Além disso, ela pode ser muito vantajosa para empresas que precisam criar uma estratégia de crescimento para o futuro. Assim, o consultor auxilia no diagnóstico do negócio, identificando o que pode ser melhorado e o que deve mudar.

Portanto, saiba que a consultoria em gestão empresarial traz benefícios para negócios de todos os portes e segmentos do mercado.

Precisando contratar uma consultoria em gestão empresarial?

Mapeamento de Fluxo de Valor: gerencie o seu estoque com o MFV

O Mapeamento de Fluxo de Valor é uma ferramenta de comunicação e planejamento que permite que as pessoas entendam seu processo de manufatura com detalhes.

A partir dele, é possível estabelecer uma linguagem comum entre os colaboradores e dar início aos processos de melhoria.

Uma vez definidos os produtos da empresa a serem mapeados primeiro, o estado atual do projeto começa com a coleta de informações como: tempo, número de pessoas envolvidas em cada processo, etc.

O Mapeamento de Fluxo de Valor será a força motriz para a melhoria dos processos responsáveis ​​pela transformação dos produtos.

Depois de executar os diagramas de estado atual e futuro, você notará que muitos processos podem ser removidos de sua empresa.

Vamos entender melhor como aplicá-lo na prática para melhorar a gestão de estoque? ↓

3 principais benefícios do Mapeamento de Fluxo de Valor

Permite a visualização macro dos processos

O MFV possibilita a organização ter uma visão sistêmica de todo processo de um produto.

Por ser tudo compilado em um único mapa as atividades, é possível visualizar: a quantidade de mão de obra empregada, tempo da atividade, tempo entre as atividades, transporte de matéria-prima e do produto final, entre outros processos.

Facilita a identificação dos problemas

Se torna mais fácil enxergar pontos de melhoria que vão trazer, de fato, valor ao cliente. Como por exemplo: a redução no tempo de fabricação, de entrega e a melhora na qualidade final.

Fica mais claro perceber onde é possível diminuir ou eliminar fontes de desperdícios!

Torna os planos de ação tangíveis

Uma parte importante do Mapeamento de Fluxo de Valor é a visualização de onde se quer chegar, e para além disso, como a empresa chegará lá.

As mudanças são realizadas já sabendo qual o resultado esperado, ou seja, são mais assertivas e, consequentemente, mais lucrativas.

Qual a diferença entre o Mapeamento de Fluxo de Valor e o mapeamento de processos?

A principal diferença está no foco dessas duas ferramentas.

O mapeamento do processo concentra-se em uma única etapa, ou seja, uma série de etapas para executar as atividades. Já o mapeamento do fluxo de valor se concentra em todo o processo, desde a entrada até a saída de materiais e informações.

Além disso, o objetivo de realizar o mapeamento de processos é tornar esses processos mais padronizados, permitindo que diferentes agentes entendam e reduzam erros e alterações.

O objetivo do Mapeamento de Fluxo de Valor é determinar o estado futuro e fazer melhorias por meio de outras ferramentas enxutas, como 5SKaizen.

Passo a passo para desenhar um mapa de Fluxo de Valor

1) Organize a equipe e a escolha do produto

Na equipe, é importante ter pessoas de diferentes níveis (estratégia, gestão e operações) e departamentos para facilitar o desenho de todo o processo.

É importante definir um líder de projeto que tenha uma visão sistemática do processo e tenha autoridade para tomar decisões.

Para um produto ou série de produtos, é interessante começar com o produto ou série de produtos que é mais crítico ou de maior valor para o cliente.

2) Observe o fluxo atual

A equipe deve percorrer todo o processo produtivo do produto, do início ao fim, observando todas as etapas e os fluxos de materiais e informações envolvidos.

Recomenda-se fazer esta rota mais de uma vez, ou mesmo fazer outra rota para capturar todos os detalhes do processo.

3) Desenhe o processo atual

Nesta etapa, coletamos a equipe e todas as anotações feitas para a concepção do VSM, enfatizando que é um mapeamento do processo atual porque realmente aconteceu, não o que deveria ser.

Para o primeiro esboço, é recomendável usar papel e lápis para evitar perder o foco em coisas irrelevantes.

Aqui, não é necessário incluir todos os detalhes observados, mas incluir os detalhes essenciais do processo. Alguns exemplos disso são: o número de trabalhadores em cada etapa, o tempo que agrega valor e o tempo do processo que não agrega valor, e assim por diante!

4) Analise o fluxo de valor atual

Neste momento, avalie o fluxo de valor atual com o fluxo de valor estabelecido. É hora de analisar criticamente cada etapa e localizar o desperdício.

Isso pode ser inventário excessivo, tempo de inatividade excessivo, problemas de qualidade levando a retrabalho, etc. Esses pontos de melhoria são marcados com “surto de melhoria” no mapa.

5) Desenhe o fluxo de valor ideal

Após identificar os pontos, a equipe deve desenhar o mapa de fluxo de valor do futuro, ou seja, como será o processo ideal após a implantação das melhorias apontadas no mapa atual.

6) Crie um plano de ação

Depois de criar o desenho do mapa ideal e tendo a aprovação do corpo de lideranças da empresa, chegou o momento de fazer o plano de ação.

É preciso ter clareza em todas mudanças que os envolvidos precisam fazer e ter métricas para medir se a mudança está tendo o resultado esperado!

Por ser uma ferramenta muito completa, o mapeamento do fluxo de valor permite especificar diversos aspectos como: 

  • Detalhamento dos processos com caixas de dados;
  • Quantificação de estoques;
  • Fluxo de informação e sistema de controle;
  • Lead time de manufatura e valor agregado;
  • Demanda do cliente;

Quer aplicar o Mapeamento do Fluxo de Valor na sua empresa?

Apesar do processo de criação de um Mapeamento do Fluxo de Valor ser bastante desafiador e envolver diversas etapas, o seu retorno é bastante positivo.

Por meio dessa ferramenta, as empresas conseguem reduzir significativamente os principais problemas envolvendo desperdícios na produção, principalmente quando falamos sobre a gestão de estoque.

Contratar uma empresa de consultoria pode fazer uma grande diferença nessa hora. Clique no banner abaixo para falar com nossos consultores e entender como a Mais Consultoria pode te ajudar:

Gestão da inovação: conheça sua aplicação na indústria

A gestão da inovação se tornou algo essencial para manter a competitividade e sustentabilidade corporativa. Você sabia que é o tema mais proeminente no mundo corporativo de hoje?

No entanto, não basta inovar para obter bons resultados. Também requer gestão da inovação para transformar o potencial de inovação da sua empresa em realidade concreta e lucrativa!

Quem está imerso no mundo dos negócios, já sabe que é preciso o tempo todo aperfeiçoar aquilo que já existe, otimizando o pensamento crítico e as habilidades de solucionar problemas. Na indústria esse cenário não é diferente.

As empresas do setor industrial precisam da inovação para sua sobrevivência, e isso não é nenhuma surpresa, né? O que pode surpreender é como essa inovação na indústria é efetivamente implementada. Continue a leitura e descubra como fazer com que a gestão da inovação seja uma realidade na sua indústria! ↓

O que é inovação?

Antes de falarmos sobre a gestão da inovação, é preciso entender o que significa o conceito de inovação. Portanto, a gestão de inovação é a estruturação de um processo concreto de inovação, com começo (entradas), meio (processamento) e fim (saídas e  geração de resultados).

Em resumo, a gestão de inovação consiste em estabelecer meios e métodos para gerar valor, concretizando ideias.

Não basta criar soluções, ferramentas e métodos: é preciso que esse ato seja planejado e contínuo.

Nessa era do desenvolvimento tecnológico, é preciso usar a inovação como ferramenta estratégica da empresa. Afinal, o mercado está cada vez mais aberto não só para quem o atende, mas também para quem cria produtos e serviços diferenciados.

Quais os benefícios de investir na gestão da inovação nas indústrias? 

Vantagem competitiva e aumento da lucratividade

A gestão da inovação nas indústrias é capaz de manter uma empresa à frente de seus concorrentes. A competitividade favorece as empresas mais inovadoras ao lhes dar destaque e isso ocorre de forma orgânica.

O novo consumidor prefere as empresas mais inovadoras, que criam novas formas de lidar com os desafios do dia-a-dia e apresentam novas formas de solucionar os problemas. Por causa desse diferencial de mercado, o consumidor se dispõe a pagar mais por produtos e serviços que geram maior valor. A consequência disso? O aumento do lucro, é claro!

Abertura de novos mercados

Com a inovação, fica mais fácil explorar carências e deficiências de produtos, serviços, tecnologias, processos e modelos de negócio, para desenvolver soluções inovadoras.

A partir da gestão da inovação, é possível abrir novos mercados ou mesmo descobrir um nicho de mercado inexplorado.

Por exemplo: O Airbnb explorou um modelo de negócio do tipo Plataforma Multilateral pois conecta turistas (consumidores), que querem um alugar um espaço por curto período de tempo, a donos de locais para hospedagem (fornecedores), como casas, apartamentos e quartos por um preço, na maioria das vezes, mais justo.

Melhor organização de processos internos

A gestão da inovação cumpre um papel crucial de estruturar os processos para viabilizar a coleta, o processamento e a implementação de ideias. As novas soluções podem até criar processos ou aprimorar os já existentes para otimizar as operações industriais.

Favorece na sustentabilidade do negócio

Um negócio estagnado, parado no tempo, que não acompanha a evolução dos anseios do consumidor e do mercado, pode facilmente perder seu valor perante ao público. Como consequência disto, teríamos uma redução nas vendas que poderia trazer grande prejuízo financeiro, e até acarretar a falência do negócio.

Pensando nisso, as inovações implementadas garantem a sustentabilidade empresarial no que se refere ao fator econômico, mas também afeta as outras áreas. Quanto mais a empresa inova visando também os aspectos ambientais e sociais do negócio, mais ela se destaca em seu segmento.

Como um exemplo disto, aqui na Mais Consultoria, prezamos pelos Objetivos de Desenvolvimento da ONU em nossos projetos e ações interna da empresa. A partir desse mindset, garantimos uma busca incessante em inovar nos processos e projetos. Uma coisa leva a outra, entende?

Motiva os colaboradores da empresa

Colaboradores podem ajudar a encontrar ideias surpreendentes, inovadoras e eficazes. Algumas empresas oferecem até prêmios para as melhores ideias sugeridas.

Como promover a gestão da inovação na indústria?

A inovação ultrapassou os departamentos de P&D de empresas e centros de pesquisa de tecnologia. Essa palavra-chave se tornou a necessidade de consistência e inovação, e se tornou a espinha dorsal de qualquer tipo de empresa. Veja como é possível promover este pilar dentro de algumas áreas da sua indústria! ↓

Produtos

A inovação no produto é direcionada a desenvolver novos produtos ou aprimorar aqueles que já existem. Por exemplo, quando uma fabricante de smartphones desenvolve um novo modelo ou uma nova versão de um modelo que já existe, ela está inovando em produtos.

Processos

A inovação nos processos é direcionada a otimizar os processos adotados dentro da indústria. Ela não se limita apenas aos processos ligados à produção em si, mas também abrange melhorias em processos administrativos, comerciais, logísticos, entre outros processos.

Modelo de Negócio

A inovação do modelo de negócios afetará a maneira como as empresas geram receita. Um bom exemplo é o setor que vende apenas para atacado e reformula sua estratégia de negócios, passa a atuar no varejo e atende diretamente ao consumidor final.

Cultura Organizacional

Para concretizar a gestão da inovação em seu melhor cenário, é preciso implementar a cultura da inovação em toda empresa. A organização como um todo deve possuir a inovação em seus objetivos.

A inovação ocupa um papel central na visão, nos valores, nas práticas da organização. Portanto, ela incentiva e apoia o surgimento e avanço de iniciativas inovadoras na empresa.

Passo a passo para implementar a gestão da inovação na indústria

Para aplicar a gestão da inovação industrial de modo eficiente, é preciso considerar pelo menos 5 maneiras!

 1) Defina uma estratégia

A estratégia da empresa é o caminho que ela percorrerá para encontrar a inovação e gerar valor. Sua estratégia deve ser bem definida antes mesmo da execução, para colher os melhores resultados.

Lembre-se de que essa estratégia deve estar de acordo com a missão, visão e valores da empresa.

2) Processe os dados obtidos

Avalie as ideias obtidas a fim de elencar e desenvolver (aprimorar) as melhores. Defina quais serão utilizadas onde e os prazos para implementação. Também devem ser definidos quais serão os custos e recursos financeiros disponíveis.

3) Implemente a inovação

Esse é o momento de colocar em prática todas as ideias que foram planejadas até então. Certifique-se de explicar tudo aos envolvidos para que sigam o planejamento e a estratégia desenvolvida no primeiro passo.

4) Acompanhe o desenvolvimento 

O gestor ou gestora deve acompanhar como as ideias estão se desenvolvendo e as atividades se adaptando. Analise se está tudo ocorrendo da melhor forma, ou se algo apresenta potenciais riscos e precisa ser otimizado.

5) Analise os resultados

Passado o processo de implementação das ideias, reúna os resultados e avalie quais foram os resultados obtidos. Se possível, faça isso acompanhado de números para ficar mais claro a diferença entre o período anterior à gestão da inovação na indústria.


Em resumo, a gestão da inovação traz consigo muito benefícios, como o fortalecimento de uma cultura inovadora, melhorias de comunicação, otimização de processos em geral, redução de custos e aumento do lucro. A Mais Consultoria pode transformar esse tema em realidade na sua indústria! 

Atuamos há mais de 18 anos no mercado oferecendo soluções para os seus clientes em otimizações de processos, estratégia, gestão financeira e qualidade. Converse com um de nossos consultores para impulsionarmos a sua empresa:

 

​Como garantir maior produtividade na indústria têxtil

Você sabia que o faturamento de uma empresa está diretamente ligado com o nível de produtividade? Neste artigo nós vamos entender como garantir maior produtividade na indústria têxtil!

Aumentar a produtividade da indústria têxtil é uma das formas de otimizar os custos de produção. Pode ser também um desafio muito grande, pois envolve diretamente a qualidade do produto final.

A boa notícia é que existem maneiras de aumentar a produtividade sem afetar na qualidade das peças. Isso é o que mostraremos neste artigo. Vamos lá?

O que é a produtividade industrial?

A produtividade industrial nada mais é do que aproveitar melhor os recursos disponíveis, como equipamentos, mão de obra e matérias-primas, para concluir mais trabalhos em menos tempo!

Existem indicadores utilizados para medir o índice de produtividade, os quais podem ser customizados de acordo com o seu processo de produção.

Esses indicadores irão medir o volume de produção entregue convertido em horas padrão.

​Como garantir maior produtividade na indústria têxtil?

Existem alguns investimentos que são essenciais para manter a produtividade dos produtos no setor têxtil. Confira:

1) Elabore um Planejamento Estratégico

O planejamento estratégico auxilia na definição de metas e objetivos. Ele é fundamental para traçar estratégias e planos de ação também.

Esse conjunto de planos de ação que visam alcançar objetivos específicos, promove uma maior agilidade na hora da tomada de decisão.

Elaborar um planejamento estratégico empresarial é uma tarefa que exige visão crítica, eficiência, um bom embasamento histórico do negócio e conhecimento de mercado.

O planejamento estratégico, aliado ao plano de negócios possibilita a melhor utilização dos recursos, assim como a definição de responsabilidade por ação.

Para gerar melhores resultados, crie estratégias viáveis, acompanhe e analise os resultados!

 

2) Mapeie e padronize os processos

Um dos fatores responsáveis pelo maior desperdício de tempo e de recursos é a falta de padrão na execução de uma tarefa.

O ideal é que cada uma das tarefas tenha a descrição de seu passo a passo. Com esse mapeamento, possibilita que qualquer funcionário execute o procedimento da mesma maneira.

Uma maneira simples de documentar essas informações é usar a ficha técnica de produto. Nela, devem constar a descrição da peça e a quantidade de toda matéria-prima utilizada na confecção.

Outro exemplo de documento é o checklist: ele contém a lista de etapas de cada processo, dando indicações de como realizar uma tarefa completa.

Com o mapeamento, será possível identificar os processos que são desnecessários ou que têm exigido muito tempo dos colaboradores, sem oferecer os retornos necessários.

Leia também: Mapeamento de Processos: otimize o desempenho dos processos da sua empresa

3) Promova uma comunicação transparente e eficiente

De nada adiantará apostar em todas essas implementações se elas não forem corretamente comunicadas às pessoas envolvidas.

Todos os funcionários envolvidos no processo precisam participar de um canal aberto de comunicação  e deixá-los a par das mudanças e decisões.

Diminuir os ruídos presentes na comunicação entre os colaboradores é essencial para aumentar a produtividade. Seja em reuniões, apresentações, comunicados, documentos e fichas técnicas, as informações devem ser claras e objetivas.

4) Forneça boas condições de trabalho

A condição do ambiente de trabalho  agradável e com estímulo à inovação e ao crescimento também é um diferencial importante para tornar uma equipe mais produtiva.

Disposições de máquinas inadequadas, sem local apropriado para estoque das peças de tecidos, roupas, moldes e retalhos que se espalham entre máquinas e outros equipamentos, além de causarem riscos à saúde e bem estar do trabalhador podem prejudicar na produtividade da equipe.

5) Invista em tecnologia e inovação

A tecnologia já se tornou uma ferramenta essencial para as indústrias. No que diz respeito à indústria têxtil, a maioria delas considera o investimento em tecnologia como parte da estrutura do negócio. É nesse cenário que surge a quarta revolução industrial, mais conhecida como Indústria 4.0.

Com soluções como IoT (Internet das Coisas), Inteligência Artificial, Big Data e Machine Learning, o objetivo da Indústria 4.0, que é facilitar a operação e inovar os processos.

A tecnologia pode colaborar para as indústrias têxteis criarem soluções de baixo impacto ambiental. As questões ambientais têm sido alvo de pesquisa e investimento permanente para maquinários, energia e métodos.

Alguns processos biológicos aplicados na fase de tingimento,  conseguem reduzir, em média, 30% no consumo de água e energia elétrica.

Exemplos de tecnologias para a maior produtividade na indústria têxtil:

1) Sewbots

Os sewbots são robôs com software de visão computacional que automatizam tarefas simples, porém, repetitivas.

Eles auxiliam na confecção, etiquetação, controle de estoque e em várias outras funcionalidades, trazendo mais produtividade às indústrias têxteis.

2) Impressão 3D

Por meio da necessidade de diminuição de desperdício de tecidos, a impressão 3D vem com o objetivo de contribuir e ainda melhorar as técnicas de customização e otimização de tempo.

Ao utilizar essa tecnologia na fabricação têxtil, é possível diminuir consideravelmente o descarte de resíduos de materiais, além de produzir peças em um tempo muito menor que o normal.

O trabalho para aumentar a produtividade na indústria têxtil é frequente. Mantenha-se atento às novidades do mercado constantemente. Para isso, acompanhe todos os processos, ouça opiniões, converse com clientes e fornecedores.


Precisando aumentar a produtividade da sua indústria?

A Mais Consultoria atua há mais de 18 anos no mercado oferecendo soluções para os seus clientes em otimizações de processos, estratégia, gestão financeira e qualidade. Entre em contato no banner abaixo e converse com um de nossos consultores para, juntos, impulsionarmos a sua empresa!

Realize a Gestão de Estoque Industrial e elimine gastos desnecessários

Manter o controle de estoque atualizado é extremamente importante para a empresa determinar o movimento de suas mercadorias que entram e saem. Para que isso aconteça é preciso realizar uma gestão de estoque industrial e eliminar gastos desnecessários na sua empresa!

Com a gestão de estoque, possível entender com precisão a demanda do mercado para o seu produto, o lucro líquido obtido e quaisquer desvios no final do mês contábil.

Saiba que o estoque não é apenas o ambiente em que você guarda as mercadorias. Uma boa gestão de estoque é determinante para quem deseja lucrar mais, diminuir os custos e otimizar processos!

Para te ajudar neste processo, selecionamos 5 dicas práticas para eliminar gastos desnecessários ao o controlar o estoque da sua indústria. Vamos lá?

Qual a importância da gestão de estoque industrial?

Controlar o estoque é saber que existe a quantidade correta de produtos para que a indústria possa fluir corretamente e atender a demanda sem causar perdas.

Para muitos que ainda não sabem como implementar adequadamente o controle de estoque, não parece algo tão óbvio e simples assim.

Quando há excesso ou falta de estoque, o caixa também sofre prejuízo.

Se o projeto ultrapassar o nível aceitável, além do fato de ser necessário esperar muito para obter o retorno do investimento, o capital de giro da empresa também será reduzido devido ao alto índice de desperdício.

Eliminar gastos desnecessários

É possível realizar otimizações no estoque que poderiam ser implementadas para reduzir ou eliminar totalmente os desperdícios de recursos, poupando  significativamente os custos.

O planejamento aliado a estratégias que envolvam técnicas e ferramentas certas otimizarão os processos. Assim, fazendo do controle de estoque um fator determinante para o sucesso do negócio.

Auxiliar nas vendas

Um bom controle de estoque é uma vantagem competitiva para a sua empresa.

A medida em que possuir determinado produto que esteja em falta nas empresas concorrentes, você garante um aumento das vendas.

 

5 dicas para realizar uma gestão de estoque industrial eficaz

  1. Conheça e organize o seu estoque

Mapeie seu estoque para ver informações detalhadas. Existem várias soluções para manter a organização do local, como caixas, estantes e paletes.

Escolha a alternativa que melhor se adapta à realidade da sua empresa e os seus maquinários.

2. Faça uma previsão de demanda

Tente criar um glossário interno para que a equipe responsável consiga consultar esses registros com clareza, a fim de evitar possíveis erros.

Um dos principais erros relacionados ao controle de estoque é a falta de planejamento na hora de comprar.

Para evitar gastos desnecessários, é preciso planejar as compras com base no histórico de vendas da empresa e prestar bastante atenção com relação à demanda dos consumidores.

3. Invista em ferramentas de controle de estoque

As ferramentas podem ser simples, como uma planilha de Excel ou mais completas como softwares especializados para gestão de estoque!

Busque uma ferramenta que atenda às necessidades da sua indústria e ajude a gerar informações relevantes.

Além disso, é de extrema importância capacitar sua equipe para otimizar tempo e recursos. Funcionários treinados irão utilizar as ferramentas da melhor maneira e seu investimento será capaz de gerar retorno em curto prazo.

4. Desenvolva uma cultura na equipe

Outro fator que merece ser considerado para realizar um bom controle de estoque na indústria está na cultura da organização

Os funcionários executam inúmeras operações que devem ser registradas, especialmente as que são referentes ao fluxo de produtos.

Com isso, é imprescindível que o time esteja qualficiado para desempenhar todas as atividades necessárias. Inclusive, a criação de processos e padrões que especificam como executar as tarefas de rotina (chegada e saída de produtos).

Dessa forma, a probabilidade de o estoque e as vendas saírem do controle diminui e é possível evitar o excesso ou falta de produtos.

Portanto, desenvolva uma cultura sólida e embasada na prestação de contas e transparência.

5. Realize inspeções periódicas

Mesmo utilizando softwares mais completos possíveis, erros nos processos ainda podem acontecer. A partir de um pequeno deslize ou falta de atenção, um item pode entrar sem ser cadastrado.

Do mesmo modo, materiais perecíveis podem ser acomodados de maneira irregular e vencerem antes do prazo, por exemplo.

Para identificar todos esses deslizes antes que eles se transformem em problemas graves, tenha uma rotina de vistoria periódica.

Essa rotina pode ser diária, semanal, mensal ou até semestral. A frequência vai depender do tipo de material armazenado e do seu nível de risco.

Aproveite esse momento para averiguar por que essas falhas ocorrem, otimize as operações que levam a elas e faça uma auditoria para analisar a qualidade das entregas dos profissionais envolvidos.

Quais são os principais métodos de gestão de estoque industrial?

PEPS

Busca identificar as mercadorias que estão mais tempo paradas em seu estoque para que sejam vendidas antes de todas as outras.

A sigla significa “primeiro a entrar primeiro a sair”. Por isso, o objetivo é evitar a obsolescência e eliminar o risco de grandes prejuízos.

Visando manter a competitividade da organização e com a tendência dos preços aumentarem com o tempo, esse modelo traz uma grande vantagem.

Os negócios conseguem valorizar seu estoque atual de forma que o valor dos produtos seja bem próximo ao que é praticado no mercado.

UEPS

Esse método de gestão de estoque é completamente contrário do PEPS. Sua sigla significa “o último a entrar, primeiro a sair”. Assim, a gestão envolve focar as estratégias de venda nos produtos mais recentes no estoque

No entanto, essa metodologia não deve ser praticada por qualquer negócio. Empresas que lidam com produtos perecíveis devem ficar atentas em relação ao prazo de validade da sua mercadoria. Deixá-las paradas muito tempo pode gerar prejuízos, portanto, o ideal é vendê-las o mais rápido possível.

Dessa forma, o UEPS não se deve ser utilizado para realizar o cálculo de imposto de renda. Deve ser único e exclusivo para objetivos gerenciais em sua empresa.

Custo médio

Esse método é bastante recomendado para empresas que sofrem com problemas de oscilação de preços em seus negócios. Conhecido também como Média Ponderada Móvel, essa estratégia de gestão de estoque visa a um meio eficiente de renovação de valores.

Sempre que houver uma nova entrada de produtos na organização, os custos de estoque cobrados são renovados por meio de um cálculo de média ponderada.

Assim, a média é justamente o resultado de todos os valores de mercadorias mais antigas com as recentemente adquiridas, divididas pela quantidade final de produtos disponíveis.

Mesmo assim, é importante destacar a importância de adotar meios de controle extras em sua empresa. Isso possibilita uma análise sobre o volume de produtos em seu estoque, evitando problemas futuros.

Outro ponto que você deve prestar atenção é que o método de custo médio e o PEPS são os únicos modelos de gestão aceitos pelo Ministério da Fazenda. Isso significa que você deve usar apenas essas duras formas durante o cálculo de Imposto de Renda.

Just In Time

Essa metodologia pode ser bem controversa, porém, efetiva caso feita corretamente. Traduzindo do inglês, ela significa literalmente “no momento exato” que é justamente seu objetivo. O método de gestão é planejado para que seja possível reduzir os gastos ao manter os níveis de estoque o mínimo possível.

Para realizar o método Just in Time é preciso muito planejamento e acompanhamento.

Essa etapa é importante, já que, sem ela, é bem provável que você perca oportunidades de vendas em seu negócio.

A principal causa disso é a falta de estoque. Sem produtos disponíveis você não será capaz de vender e obter lucro.

Dessa forma, para que o método tenha sucesso em seu negócio, é muito importante fechar parcerias com fornecedores de confiança. Assim, você vai ter a garantia de que suas requisições serão atendidas e irá evitar prejuízos.

Leia também:

 


Precisando investir em gestão de estoque industrial?

A Mais Consultoria atua há mais de 18 anos no mercado oferecendo soluções para os seus clientes em otimizações de processos, estratégia, gestão financeira e qualidade. Entre em contato no banner abaixo e converse com um de nossos consultores para, juntos, impulsionarmos o seu negócio:

Fale com consultor

 

5 erros em vendas que você deve parar de cometer

Descubra os 5 erros em vendas que você deve parar de cometer que atrapalham o crescimento da sua empresa!

Antes de querer atingir os melhores resultados, os empresários e vendedores precisam corrigir os erros de vendas que cometem todos os dias – muitas vezes sem perceber! Entre vendedores tradicionais e autônomos, vimos muitos erros e práticas comuns de vendedores que afetam negativamente as negociações.

5 erros em vendas que você deve parar de cometer hoje

Selecionamos 5 erros em vendas muito comuns para você parar de perder leads atoa e passar a conquistar mais e melhores clientes.

1) Falar muito e não ouvir o seu cliente

Não confunda persuasão com falar demais. Portanto, saiba que ao entrar em contato com o cliente, querer vender a todo custo não é uma forma de conquistar clientes em potencial.

O bom vendedor deve ser visto como uma solução, não como um inconveniente para o cliente. Ao escutar com atenção o que o lead tem a dizer, você identifica os argumentos necessários para conduzi-lo de modo mais assertivo para a decisão de compra usando o que ele mesmo relatar para você.

O consumidor que sabe o que quer e, quanto mais falar a respeito de suas necessidades, melhores serão as chances do profissional avançar na negociação.

Então, não se esqueça: é preciso ouvir o que o cliente tem a dizer.

Depois disso, ofereça as soluções de sua empresa de acordo com suas reais necessidades.

2) Não gerar valor no seu produto ou serviço

Valor é muito diferente de preço. Um cliente não está buscando apenas bom preço, mas uma solução para o problema que vive.

Um dos erros comuns de vendedores é não mostrar como aquele produto ou serviço influenciará positivamente na vida do consumidor. Ao invés de ficar falando sobre as técnicas, metodologias, é preciso falar sobre os benefícios.

Além de falar sobre as vantagens, mostre esse valor por meio de dados! Utilize seus clientes atuais para falarem do seu produto ou serviço. Isso servirá como prova social, demonstrando que o que você vende, realmente funciona e gera bons resultados.

→ Leia também: Cross Selling: aumentando os resultados de suas vendas

3) Não realizar um acompanhamento

Esse acompanhamento é conhecido como “follow up”. O Follow up pode ser entendido como um acompanhamento para criar conexão com o lead. O follow up pode ser feito por email, telefone, redes sociais e quaisquer outros meios de comunicação.

É muito comum vermos vendedores que ligam para tentar marcar uma reunião, não conseguem, ficam de ligar depois de um mês, mas nunca retornam!

Ao realizar uma proposta, fazer uma visita ou ligar para um cliente potencial, lembre-se de que a partir dali começa um relacionamento. Foque em obter conexões.

É neste momento que você precisará ter uma agenda ou qualquer outra plataforma de organização. Planejamento e organização são fundamentais em vendas.

4) Ter um atendimento automatizado

Um dos erros comuns em vendas é fornecer um atendimento padronizado e engessado a todos os clientes.

É importante falar de forma personalizada e confortável, e as conexões podem ser estabelecidas por meio da empatia e das características dessas pessoas.

Uma das dicas mais importantes para os vendedores é tentar se colocar no lugar do comprador.

Esse comportamento aumentará suas oportunidades de vendas. Você enxergará o processo da perspectiva do consumidor. Desta forma, é possível otimizar as etapas do processo de venda e prestar serviços individualizados para cada cliente em particular.

5) Não utilizar um CRM

Uma das principais vantagens da utilização do CRM é obter a maior satisfação do cliente. Ao utilizar essa estratégia, todas as negociações que envolvem manutenção, comercialização e venda dos produtos passam a ser realizadas de forma organizada e sistemática.

Desta forma, você pode conduzir mais estrategicamente a gestão de vendas do seu negócio. Você também pode melhorar o atendimento ao cliente entendendo melhor o problema.

O sistema cria a necessidade de receber e registrar feedback contínuo na equipe de vendas, e esses dados podem ser usados ​​para definir um plano de ação ao longo do processo de vendas.

Recomendamos alguns CRM’s como:

Vamos analisar o seu processo de vendas para identificar erros?

Se você se identificou com algum desses erros, não se assuste: infelizmente eles são mais comuns do que parecem e fazem partes dos desafios diários de uma equipe de vendas, ok?!

Ter um processo comercial bem estruturado vai te ajudar melhorar os resultados de forma surpreendente. Se você quer receber um diagnóstico gratuito sobre o seu processo de vendas, fale com nossa equipe clicando no banner abaixo:

Como melhorar a experiência do paciente em consultórios

Hoje em dia, fala-se muito sobre a boa experiência do usuário e seu impacto positivo na maioria dos segmentos de mercado. Então, como melhorar a experiência do paciente em consultórios?

Seja no consultório médico ou na clínica, essa preocupação também se aplica ao setor saúde! O usuário precisa se sentir bem atendido desde a busca pelo local ideal até o diagnóstico e prescrição do médico.

O que experiência do paciente?

A experiência do cliente é a soma de todas as interações que afetam a sua percepção durante todo o processo com uma empresa.

Hoje em dia, todos os tipos de consumidores têm a possibilidade de escolher e ter acesso ilimitado à informação, por isso procuram melhores serviços, relações mais profundas e humanas. Então, por que não usar essa nova perspectiva para diferenciar esses aspectos da sua clínica ou consultório?

De acordo com o Digital Commerce 360 ​​Statistics, 81% dos executivos de sistemas de saúde dizem que “melhorar a experiência do cliente” é uma alta prioridade para suas organizações.

Qual a diferença entre atendimento ao cliente e experiência do paciente?

É neste momento que encontramos a maior diferença entre os conceitos de atendimento ao cliente e experiência do cliente.

Como o nome sugere, a primeira é a etapa de atendimento do processo de compra, ou seja, quando o usuário entra em contato com a marca e vice-versa.

No entanto, o escopo da experiência do cliente é mais amplo, partindo do consumidor entendendo a marca, navegando em seu site, contatando e finalizando a compra.

Até que o consumidor posteriormente obtenha o serviço ou suporte pós-compra final, tudo envolvendo todas as fases do consumidor jornada.

→ Leia também: Como o Google Analytics pode ajudar a melhorar a experiência do seu cliente

Vantagens de uma boa experiência dos pacientes

Essa estratégia afeta positivamente sua organização médica de três maneiras principais:

1) Adquirir uma boa reputação

Com o avanço digital, os pacientes podem facilmente comparar as pontuações e classificações das organizações nos canais digitais.

As análises boca a boca dos serviços sempre foram muito importantes, mas quando falamos do meio digital isso se torna ainda mais importante. Isso pode ter um impacto positivo ou negativo na retenção de pacientes.
A reputação baseada na experiência do paciente toma um peso ainda maior, afetando se os pacientes retornam ou não a uma organização.

2) Aumentar a conexão com o paciente

Experiência que envolvam os pacientes de forma mais humanizada e acolhedora, aumenta a probabilidade de que eles e suas famílias ou outros cuidadores se envolvam mais em seus próprios resultados de saúde.

3) Aumentar o número de clientes fidelizados

Proporcionar uma boa experiência do paciente é a melhor forma de fidelizá-lo. Dessa forma, quando precisar de um novo atendimento, o paciente satisfeito vai se lembrar positivamente do bom serviço prestado. Ele não pensará duas vezes antes de agendar uma nova consulta no mesmo local!

Como melhorar a experiência do paciente em consultórios?

Muito mais do que uma simples consulta, a experiência do paciente consiste em todas as interações que os pacientes têm com o sistema de saúde, incluindo planos de saúde médicos, enfermeiras e equipe hospitalar, médicos e outras instalações de saúde. Selecionamos algumas boas práticas para você aplicar na sua organização:

 

1) Promova atendimento humanizado

Nas organizações médias é essencial garantir que o atendimento seja humanizado. As clínicas lidam com indivíduos em momentos de fragilidade ou vulnerabilidade.

A postura atenciosa, da chegada à saída do local, é um ponto importante para uma boa experiência do paciente!

2) Reduza o tempo de espera

Reduzir o tempo de espera é fundamental para oferecer a melhor experiência ao paciente. Uma boa organização minimiza atrasos. Se a clínica preza pela pontualidade, atua com respeito e valoriza o tempo do paciente.

3) Cuide dos equipamentos clínicos

Os equipamentos e mobiliários também servem como pontos de avaliação dos pacientes. É de extrema importância que você cuide corretamente dos móveis da sua clínica.

4) Capacite sua equipe

O crescimento profissional da sua equipe está relacionado ao bom atendimento dos pacientes.

Profissionais preparados e qualificados mostram a seriedade e preparo para lidar com situações desafiadoras.

Agora, se a sua clínica já utiliza um sistema médico, está mais do que na hora de investir na capacitação de seus colaboradores. Periodicamente, realize treinamentos de uso da ferramenta!

5) Facilite o agendamento

Nos dias de hoje, em que tanta gente está imersa na tecnologia, é importante oferecer um agendamento fácil e, de preferência, que possa ser feito pelo celular ou computador!

Com certeza o online não deve substituir o agendamento por ligação telefônica. O importante é oferecer as opções para seus pacientes se sentirem mais confortáveis!

Melhore a experiência do paciente com o Lean Healthcare

Baixe nosso material gratuito e saiba como implementar o Lean Helthcare no seu consultório:

 

Marketing Indireto: O que é? Como utilizar?

Com o surgimento do marketing digital e diversas outras estratégias, dentro deste ramo que consolidaram grandes marcas e proporcionaram o sucesso de diversas empresas, o marketing indireto surge para perpetuar este estilo de divulgação.

Visto que, muitas pessoas têm contato com o marketing indireto todos os dias, mas nunca se deram conta, e é justamente por isso que ele recebe esse nome. 

Neste artigo vamos abordar o conceito de marketing indireto juntamente com exemplos práticos e dicas para aplicá-lo no seu negócio. 

O que é Marketing Indireto? 

O marketing indireto nada mais é do que uma forma de divulgação de um produto ou serviço de maneira que aquilo não seja explícito para a pessoa.

Sendo assim, o marketing indireto trabalha com maneiras mais sutis na hora de divulgar a sua marca, deixando de lado aquela tradicional tratativa boca a boca entre o cliente e o vendedor. 

Portanto, o seu principal objetivo é divulgar a marca sem precisar insistir para que o cliente compre o seu produto ou serviço, evitando assim, situações desconfortáveis e menos chances de atrair novos clientes. 

Qual a diferença entre marketing direto e indireto? 

Quando algumas pessoas decidem começar a estudar o marketing indireto, acabam batendo de frente também com o conceito de marketing direto e se perguntam a diferença entre eles. 

O marketing direto não passa daquele conceito bem famoso sobre vendas que já conhecemos, um vendedor vai até um cliente e tenta o convencer de qualquer maneira a comprar o seu produto ou serviço.

Talvez você mesmo já tenha passado por isso, talvez um vendedor tentou lhe vender a qualquer custo um perfume ou um plano de saúde ou qualquer outro produto. 

E essa é a maior diferença entre o marketing direto e indireto, enquanto o primeiro se preocupa em falar e convencer a pessoa a adquirir o que vende.

O segundo foca em estratégias que farão aquela pessoa se dar conta da qualidade do produto ou serviço por conta própria. 

Exemplos de marketing indireto 

Para que tudo isso fique ainda mais claro para você, separamos algumas dicas para te ajudar a entender na prática o conceito de marketing indireto. Confira: 

Produção de conteúdo nas redes sociais 

Quem nunca estava dando aquela olhada nas redes sociais e acabou se deparando com um post ou vídeos de um determinado profissional explicando sobre algum assunto relacionado a sua marca. 

Isso é mais comum do que pensamos, são diversos profissionais de marketing dando dicas para crescer no Instagram, maquiadoras ensinando como fazer uma maquiagem para festas ou um médico explicando sobre uma delas específica. 

Esse é um ótimo exemplo de marketing indireto, pois sabemos que por trás de todo aquele conteúdo existe um produto ou serviço oferecido por aquele profissional, e aqueles vídeos e posts são uma forma de atrair novos clientes para o seu negócio. 

Essa estratégia também pode ser conhecida como marketing de conteúdo, que visa a divulgação de materiais informativos e relevantes para educar o seu público e atrair novos clientes ao seu negócio. 

O fato é que a produção de conteúdo na internet pode ser uma maneira de atrair novos clientes, e internamente, divulgar a sua marca e mostrar que você possui autoridade e propriedade no que fala. 

Você pode produzir conteúdos por meio de várias redes sociais e com diversos formatos, como:

  • Vídeos;
  • Posts;
  • Podcasts;
  • E-books;
  • Blog posts;
  • Artigos. 

Parcerias com influenciadores digitais 

Outra maneira de colocar o marketing indireto em prática é fazer parcerias com influenciadores digitais e fazer com que eles divulguem o seu serviço ou produto. 

Essa é uma estratégia muito usada nas redes sociais e dentro do conceito de marketing indireto, pois você acaba usando o rosto de uma pessoa famosa e influente, que indiretamente pode atrair diversos clientes para o seu negócio. 

Sendo assim, alguns acabam cobrando algum valor em dinheiro ou apenas desejam testar o produto ou serviço antes para verificar se realmente vale a pena indicar aquilo aos seus seguidores. 

Por isso, faça um estudo nas redes sociais e veja quais influenciadores mais se adequam ao seu produto ou serviço e possuem uma boa relevância nas redes sociais para divulgar a sua marca. 

Dessa forma, você garante não só o aumento das suas vendas, mas também da visibilidade da sua marca. 

Comerciais de TV 

Comerciais de TV já são padrões, principalmente, no Brasil, é rotineiro assistir um jornal ou uma novela a noite e durante os intervalos ser bombardeado por comerciais de grandes e pequenas marcas. 

Por mais caro que possa ser o investimento inicial, os comerciais são ótimas estratégias de divulgação e que carregam consigo um pouco do conceito de marketing indireto. 

Afinal de contas, no comercial é visto as promoções, preços e produtos daquela marca, o foco do comercial é informar o telespectador e convencê-lo de comprar aquele produto sem saturar a informação no cérebro do ouvinte. 

Com isso, você alcança um enorme público e ainda garante que o nome da sua marca fique claro e presente no dia a dia dos brasileiros. 

Tráfego pago

O tráfego pago é um meio de divulgação muito conhecido, principalmente, dentro do âmbito do marketing digital. 

Ele nada mais é do que a criação de tráfego, ou seja, público, de forma paga por meio de plataformas digitais. 

A maioria das redes sociais possuem uma plataforma secundária focada apenas na criação de anúncios e campanhas para marcas, como o Twitter Ads, por exemplo. 

Por meio dessas plataformas você consegue filtrar informações cruciais sobre o seu público-alvo, como: 

  • Idade;
  • Gênero;
  • Região;
  • Profissão;
  • Classe social. 

Com essas informações em mãos você cria anúncios e campanhas sobre o seu produto ou serviço focados neste público-alvo do seu negócio, aumentando ainda mais as chances das pessoas certas conhecerem a sua marca. 

O tráfego pago é uma ótima opção para quem quer trabalhar com o marketing indireto mas ainda não possui um grande valor em dinheiro para investir em um comercial de TV, por exemplo. 

Por meio dele você consegue não só divulgar o seu produto diretamente, mas conteúdos relacionados a sua marca e avaliações de amigos clientes para atrair novos leads ao seu negócio. 

Dicas para utilizar o marketing indireto 

Assim como a maioria das coisas na vida, precisamos estudar muito bem uma determinada área que pretendemos atuar ou ingressar. 

Por isso, separamos algumas dicas cruciais para te ajudar a utilizar o marketing indireto como uma ferramenta poderosa para o seu negócio. Confira:

Conheça o seu público-alvo 

Caso você não saiba, público-alvo nada mais é do que um grupo determinado de pessoas que possuem características semelhantes e grandes chances de comprar o seu produto ou serviço. 

Para definir esse público-alvo é necessário um estudo minucioso e detalhado para entender muito bem o que é a sua marca e para quem o seu produto ou serviço é destinado. 

Sem informações como essas não é possível criar um público-alvo e muito menos estratégias utilizando o marketing indireto. 

Escolha o canal adequado 

Após definir quem é o seu público-alvo, é necessário escolher o canal pelo qual a sua campanha será transmitida, e essa decisão é tão importante quanto a primeira que citamos. 

Vamos supor que o público-alvo da sua marca sejam jovens entre 18 e 24 anos, investir em estratégias usando o marketing indireto nas rádios, por exemplo, não é uma boa escolha. Pois são poucos os jovens que ouvem as rádios todos os dias. 

Para este tipo de público, a melhor opção seria investir no marketing indireto por meio das redes sociais com estratégias como marketing de conteúdo, inbound marketing e tráfego pago. 

Afinal de contas, é nas redes sociais que você encontrará os jovens desta idade. 

Por isso, é necessário escolher o canal de divulgação que mais se assemelhe com o seu público-alvo, criando estratégias certeiras e eficazes. 

Conheça bem a sua marca 

Por fim, mas de maneira alguma a menos importante, conheça bem a sua marca e os seus produtos ou serviços. 

Não há como transparecer confiança sobre um assunto que nem você conhece direito, por isso, estude muito bem os valores e princípios da sua marca para estar ciente do que quer passar aos seus clientes por meio das suas estratégias. 

Isso pode parecer óbvio, mas é muito importante para aqueles que às vezes acham que conhecem bem a sua empresa, mas lá no fundo não fazem ideia do que estão oferecendo aos seus clientes. 

Essas são apenas algumas das dicas que consideramos primordiais para o seu negócio e para a construção de uma estratégia utilizando o marketing indireto. 

Vale lembrar que existe muito material disponível na internet e em livros e cursos, você também pode utilizá-los como suporte durante este processo. 

Pontos positivos e negativos do marketing indireto 

Assim como tudo na vida, as coisas possuem lados positivos e negativos. Por isso, separamos alguns dentro do marketing indireto para te ajudar a entender se é uma estratégia válida para o seu negócio. 

Pontos positivos

  • Melhor forma de construir o branding;
  • Custo baixo;
  • Conquista credibilidade;
  • Atrai mais clientes.

Pontos negativos

  • Dificuldade de mensurar resultados;
  • Alto custo de implantação;
  • Difícil de chegar aonde deseja;
  • Nem sempre chega no público certo.

Como mencionamos, esses são apenas alguns dos pontos positivos e negativos das estratégias, claro que você pode e deve pesquisar ainda mais sobre o assunto e verificar tudo o que envolve o tema. 

Somente assim você irá saber se essa estratégia é realmente valiosa para a sua empresa e para te ajudar a chegar aonde deseja. 

Por que o marketing indireto é tão importante? 

Por fim, vamos abordar um pouco sobre a importância do marketing indireto para o seu negócio, seja ele qual for. 

Muitas pessoas ainda são adeptas à antiga forma de divulgação e ao antigo conceito de marketing boca a boca, onde você insiste para que o cliente comprasse de você. E por mais doloroso que isso possa ser para alguns, precisamos assumir que essa era chegou ao fim.

O meio digital trouxe uma nova perspectiva sobre tudo, inclusive sobre as formas de se divulgar e criar campanhas para atrair novos clientes. 

Hoje, as pessoas não estão mais interessadas em parar por trinta minutos do seu dia para ouvir alguém falando tudo sobre o seu produto ou serviço e quase implorando para que elas o comprem. 

As pessoas querem gastar o seu tempo pesquisando e estudando coisas novas, indo atrás de marcas que atendam às suas expectativas e esclareça as suas dúvidas sem forçá-las a comprar alguma coisa. 

E é justamente para isso que serve o marketing indireto, para mostrar aos seus clientes que muito além de só divulgar um produto ou serviço, você se preocupa em levar a ele a melhor experiência e informação possível sobre aquele assunto. 

Dessa forma, esses clientes não só compraram de você mas sentiram confiança em indicar a sua marca para amigos e familiares, aumentando ainda mais a visibilidade da sua empresa.

Ele é usado há muito tempo e por grandes marcas, como: Casas Bahia, Brahma e até mesmo por pessoas famosas como o jogador Romário, que sempre divulgou marcas e empresas por meio de suas camisas no futebol brasileiro.

Isso prova como o marketing indireto garante a fama e sucesso de grandes empresas, trazendo não só novos clientes mas também visibilidade para a marca.

Considerações finais

Este artigo foi feito com a intenção de te ajudar a entender ainda mais sobre o conceito e a importância do marketing indireto, esperamos que suas dúvidas possam ter sido esclarecidas em relação a este assunto. 

O conhecimento é uma arma extremamente poderosa dentro de qualquer área, e principalmente, dentro do âmbito digital. 

Por esta razão, não deixe de continuar estudando e procurando referências para estar cada vez mais engajado em assunto como esse. 

Vale lembrar sempre de conversar com a sua equipe e procurar entender qual é a melhor estratégia para o atual momento da sua empresa, garantindo a participação de seus funcionários na criação de estratégias para a marca. 

Desejamos muito sucesso e prosperidade para o seu negócio, que todas as dicas e informações apresentadas aqui possam ter sido muito úteis e valiosas para sua empresa. 

Qualquer dúvida, entre em contato conosco!

Matriz GUT: o que é e como aplicar na prática

Já falamos sobre algumas outras ferramentas que facilitam a gestão da sua empresa, como a 5W2H. PDCA, SWOT, mas hoje nós vamos falar sobre a Matriz GUT.

É muito comum ver as empresas terem tantas demandas e processos, que acabam possuindo uma má gestão do todo, se não tiverem a devida atenção da equipe.

Para melhorar a qualidade desses processos, podemos contar com algumas ferramentas que ajudam a definir prioridades e solucionar problemas que podem surgir durante a sua trajetória.

Muitas tarefas a se fazer, pendências a serem resolvidas e, nesses momentos, a dúvida sobre o que fazer primeiro costuma surgir com bastante frequência.

Neste artigo vamos te apresentar o que é e como colocar em prática a Matriz GUT, uma ferramenta que vai te ajudar consideravelmente a organizar seu planejamento estratégico. Boa leitura!

O que é a Matriz GUT?

Para iniciarmos a nossa conversa, “GUT” é uma abreviação de três palavras: Gravidade, Urgência e Tendência. Essas são as três principais variáveis usadas para determinar se sua gestão de projetos precisa priorizar algo em específico.

Gravidade: indica o impacto do problema no pessoal relacionado, ou seja, analisando a gravidade do problema. Ela varia de 1 a 5:

  1. Sem gravidade;
  2. Pouco grave;
  3. Grave;
  4. Muito grave;
  5. Extremamente grave.

Urgência: indica o momento em que o problema pode ser resolvido. Quanto maior a urgência, menos tempo leva para resolver o problema. A urgência também varia de 1 a 5:

  1. Pode esperar;
  2. Pouco urgente;
  3. Urgente e merece atenção a curto prazo;
  4. Muito urgente;
  5. Tão urgente que exige uma tomada de atitude imediata.

Tendência: consiste no potencial de desenvolvimento do problema, ou seja, a possibilidade de deterioração ao longo do tempo (caso não sejam tomadas medidas). A tendência dos problemas de diminuir ou desaparecer com o tempo também é considerada. Variando de 1 a 5:

  1. Não mudará;
  2. Vai piorar em longo prazo;
  3. Vai piorar em médio prazo;
  4. Vai piorar em curto prazo;
  5. Vai piorar rapidamente.

Dessa forma, esses valores são multiplicados resultando na pontuação de cada problema. Em seguida, coloca-se a lista em ordem decrescente de pontuação.

Quais vantagens em utilizar a Matriz GUT?

A principal vantagem do método GUT é que, independentemente do porte da sua empresa, é uma ferramenta muito simples e eficaz no processo de tomada de decisão.

Mesmo pessoas sem experiência em gestão de negócios podem alcançar bons resultados sem gastar muito tempo e energia.

Além disso, essa matriz também fornece muito suporte para outros métodos de gerenciamento, como o ciclo PDCA, a estrutura KANBAN e a análise SWOT.

Se você já estiver familiarizado com qualquer uma dessas ferramentas, pode adicionar GUT para tornar a gestão do seu negócio ainda mais eficaz!

Como montar sua matriz GUT?

Agora que você entende o que é essa matriz, é hora de aprender como colocá-la em prática. Vamos para o passo a passo?!

1) Liste quais são os problemas

Antes de começar, você precisa entender os problemas que precisam ser resolvidos na empresa. Liste todos os problemas, tarefas e itens que devem ser considerados na análise.

2) Defina a gravidade, urgência e tendência

Lembrando que…

Gravidade: é o impacto que aquele problema pode ter se não for resolvido;

Urgência: indica, de forma geral, quanto tempo você tem para lidar com a situação antes que ela saia do controle;

Tendência: reflete as chances de a situação piorar enquanto aguarda uma solução. Útil para fazer seu gerenciamento de riscos.

Com essa visão clara de quais são os problemas a serem resolvidos, liste esses fatores na matriz, junto ao problema correspondente.

3) Calcule o valor GUT

Para calcular o valor total na matriz GUT, basta multiplicar os valores de cada fator. Vamos supor um problema com Gravidade 2, Urgência 3 e Tendência 3 tem uma pontuação total de 18 (2 x 3 x 3).

Depois de pegar esses números, basta colocar cada problema em um ranking, do maior para o menor.

4) Monte os planos de ação

Nesse momento, você já terá uma boa ideia de quais devem ser suas prioridades. Com isso em mente, prepare os planos de ação que otimizem a solução de todas essas questões.


Construa a Matriz GUT com a nossa equipe gratuitamente!

Como melhorar a experiência do cliente no delivery?

Entender os novos hábitos de consumo dos consumidores é um desafio para as empresas no geral,  mas principalmente para os restaurantes que lidam diretamente com seus clientes. Mas, como melhorar a experiência do cliente no delivery?

É preciso estabelecer uma conexão mais profunda entre a empresa e o cliente. Os consumidores desejam uma experiência satisfatória com a marca, o que por sua vez exige um melhor entendimento dele para atender a essas necessidades.

Com a pandemia e o isolamento social, o delivery se tornou uma atividade essencial para garantir não só a sobrevivência do varejo neste período, mas também o próprio consumo.

De acordo com o levantamento da Statista – empresa especializada em dados de mercado e consumidores:

Houve um salto de 155% no número de consumidores em delivery de março a abril do ano de 2020, quando o estimado para o período era de 30%.

O crescimento de pedidos também acompanhou o crescimento de usuários, atingindo expressivos 975% de aumento.

De qualquer forma, é preciso ter cuidado e planejamento para garantir a melhor experiência em todo o processo, não é mesmo?! Continue a leitura para descobrir algumas dicas práticas para melhorar a experiência do cliente no delivery!

Dicas práticas para melhorar a experiência do cliente no delivery

1. Capriche na apresentação do cardápio

Como diz aquele ditado, a primeira impressão é a que fica, certo?

Então, muita atenção: o cardápio tem um peso muito maior no delivery! É através dele que seu cliente terá o primeiro contato com seu restaurante. Capriche nas fotos e na descrição dos produtos para que dê água na boca!

2. Facilite a escolha do pedido

Na hora de escolher o produto, o cardápio continua tendo muita importância. Descrições, além de atrativas, precisam ser mais informativas e claras possíveis para garantir o interesse e confiança do consumidor.

3. Ganhe no preço ou na quantidade

Com certeza, os preços dos seus pratos devem ser condizentes com as qualidades do seu produto, mas, muitas vezes você precisará colocar um preço abaixo do que você deseja e reajustar com o tempo, conforme os consumidores se habituam com o seu produto.

É muito válido nessa etapa, realizar alguns testes e ver qual é aceitação do público. Então, não se esqueça de documentar os dados.

→ Leia também: Práticas valiosas para a gestão financeira do seu restaurante

4. Ofereça um atendimento memorável

O atendimento do delivery é tão importante quanto o presencial e, até, mais difícil.

Portanto, priorize o treinamento dos seus funcionários para sempre melhorar o atendimento nessa área, isso é crucial para tornar a experiência do cliente cada vez melhor.

Vamos falar mais sobre esse tópico a seguir, pois um atendimento ruim é uma das principais causas dos clientes nunca mais voltarem a consumir em um restaurante.

5. Atenção na entrega

Ser rápido e não comprometer a apresentação do produto: o sonho de todo restaurante delivery!

Então, atenção: não adianta nada chegar super rápido mas o molho bagunçar todo o prato. Use as embalagens adequadas ao seu tipo de produto e pense nas melhores rotas para fazer a entrega.

6. Solicite uma avaliação

Incentive seu cliente a avaliar o pedido nas suas plataformas! Para conseguir esse feedback, será necessário oferecer algo em troca: que tal oferecer um cupom para utilizar na próxima compra? Este cupom o incentivará não somente a conceder a avaliação, mas também a consumir novamente no seu restaurante.

Além disso, esse feedback é extremamente importante para o próprio restaurante. Por meio das avaliações ruins ou medianas, você tem a oportunidade de melhorar o seu produto ou algum outro processo de entrega.

Clique no banner abaixo para baixar o e-book gratuito: O Delivery chegou! Dicas para o seu negócio

experiência do cliente no delivery

Como o atendimento ao cliente contribui para uma experiência positiva

A qualidade do atendimento só pode ser garantida quando o processo é organizado e os funcionários estão preparados para atender o público que solicita as entregas. Portanto, é importante utilizar todas as ferramentas e estratégias disponíveis, desde o treinamento da equipe até a utilização  de ferramentas.

1) Tenha uma gestão de clientes

Mantenha a sua lista de clientes com todos os dados atualizados. Acompanhe o ticket médio de cada um deles, o histórico de compras, a maneira como se comportam, como por exemplo:

  • qual horário dos pedidos?
  • quais pratos pedem?
  • o que dizem sobre?

2) Agradeça os clientes

Quando presenteamos alguém, nós geramos o gatilho de reciprocidade. Dessa forma, as pessoas presenteadas se sentem na necessidade de retribuir o gesto. Então, há grandes chances de ser retribuído com uma nova compra, após presentear o cliente.

Disponibilize prêmios ou descontos aos clientes que mais compram e planeje ações que elevem o valor do ticket médio padrão!

3) Contorne as criticas

É muito importante investir em treinamentos para que a sua equipe esteja preparada para responder às críticas com gentileza. Em vez de tomar uma postura defensiva, uma boa dica é adotar um tom de compreensão e pedir desculpas. Após a situação, compense o desconforto do consumidor de alguma maneira.

4) Treine os entregadores

Relembre a importância do atendimento até mesmo no momento da entrega. Mencionar o nome do estabelecimento, o nome do consumidor, o pedido de acordo com o que consta na nota e a forma de pagamento é o básico. Além de desejar uma “boa tarde” ou “boa noite” para o cliente, é gentil desejar uma boa refeição.


Quer ajudar para melhorar a experiência do cliente do seu restaurante delivery?

Entre em contato com o nosso time de especialistas e solicite um diagnóstico gratuito:


Nossa localização

Faculdade de Engenharia - UFJF Rua José Lourenço Kelmer, s/n São Pedro, Juiz de Fora - MG