Governança Corporativa: o que é + benefícios do processo para a empresa

Pessoa aprendendo sobre governança corporativa

Provavelmente você já ouviu falar neste termo governança, não é mesmo? Bom, no mundo dos negócios ele também está presente, e chamamos de governança corporativa!

É através que organizamos os processos, diretrizes, leis que o nosso negócio possui. Porém será que ele só se resume a realmente só isto?

E a resposta é. Não!

Ao contrário do que muita gente pensa, não se trata apenas de criar, registrar e documentar normas e procedimentos.

Neste conteúdo, iremos falar sobre o termo e quais os benefícios que só ele proporciona.

Afinal, o que é governança corporativa?

É um sistema de dirigir, fiscalizar e incentivar a empresa de forma que envolve o órgão de fiscalização e controle, o relacionamento entre todos os sócios, o conselho de administração e o conselho de administração e, claro, as demais partes envolvidas.

A definição acima é dada pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC). Em síntese, podemos definir esse conceito (também conhecido como Corporate Governance) como um conjunto de ações que fortalecem uma empresa, alinhando os interesses de todos os públicos internos e externos.

Conheça os 4 princípios da governança corporativa

O IBGC, órgão formado por diversas instituições financeiras para facilitar e auxiliar no processo de desenvolvimento dessas boas práticas, enuncia 4 princípios de governança corporativa.

Tudo isso faz parte do Código de Boas Práticas de Governança Corporativa, que, se bem adotadas, criam um sistema de confiança interna e externa.

Os quatro princípios da governança corporativa são:

  • transparência;
  • equidade;
  • prestação de contas (accountability);
  • responsabilidade corporativa.

1. Transparência

A transparência é o princípio que contempla o fornecimento frequente de informações aos stakeholders. Aqui, não só os dados exigidos por regulamentos e leis podem ser fornecidos, mas também outros materiais de interesse direto para as pessoas envolvidas.

Além de relatórios financeiros, também fornece material relacionado à gestão corporativa, tomada de decisões e outros assuntos que visam a manutenção do valor da empresa.

2. Equidade

Refere-se ao tratamento justo e equivalente de todas as partes interessadas dentro da empresa. Ou seja, independentemente do cargo ou grau de envolvimento, todos devem ser tratados de forma igualitária, levando em consideração suas responsabilidades, interesses, direitos, expectativas e necessidades.

3. Prestação de contas (accountability)

Os responsáveis ​​devem informar regularmente sobre dados econômicos e financeiros de forma clara, objetiva, concisa e abrangente.

Além disso, é o indivíduo quem assume a responsabilidade e as consequências de suas ações e omissões.

4. Responsabilidade corporativa

Este princípio fala sobre cuidar dos sistemas e ambientes em que uma organização opera.

Inclui consideração de capital intelectual, financeiro, social, manufatura, reputacional, humano, ambiental e social a curto, médio e longo prazo.

Os benefícios da governança corporativa nas empresas

Você já se perguntou o que acontece quando os empresários impõem muitas regras e restrições? Ou pior, quando não estabelecem regras e restrições suficientes?

Em uma governança muito forte, o administrador não pode fazer seu trabalho porque não tem autonomia para isso. Ele está sempre “à mercê” das decisões de outras pessoas. Podemos observar esse tipo de governança no setor público e nas grandes corporações.

Em uma governança muito fraca, as oportunidades para os gestores explorarem maliciosamente em benefício próprio só aumentam significativamente. Ou, ele pode não ter as competências necessárias. Esse tipo de governança pode ser observado em startups e pequenas empresas.

Encontrar um ponto de equilíbrio é um grande dilema da governança corporativa ideal! Portanto, deve-se ter cuidado para que o custo da ferramenta de controle não ultrapasse o possível prejuízo ao administrador.

O conceito de governança também pode ser aplicado a outras áreas de negócios fora do domínio organizacional.

Bônus: veja como a governança corporativa ainda pode ser útil

1. Fortalece o compliance

Fortalecer o compliance torna-se muito mais fácil à medida que as políticas internas são rigorosamente seguidas.

O comportamento dos funcionários combinado com a cultura organizacional pode reduzir problemas e reduzir o risco operacional. Tudo isso ajuda no trabalho do Chief Compliance Officer e sua equipe para tornar a empresa mais segura em diversas áreas de negócios.

2. Atrai investidores

A governança é desenhada para cumprir leis e regulamentos, o que reduz muito a chance de processos judiciais ou multas. Além disso, dá segurança à organização e atrai investidores, além de melhorar o relacionamento com os clientes.

3. Valoriza a imagem

Para ter uma boa imagem e confiabilidade perante as partes internas e externas, um dos princípios básicos da governança corporativa é a prestação de contas.

Assim, garante sua confiabilidade ao público interessado por meio de dados autênticos, que auxiliam na manutenção e melhoria da imagem e reputação corporativa.

4. Aumenta o valor de mercado

Essa vantagem é resultado dos pontos anteriores. Com uma forte reputação, credibilidade e imagem positiva, além de mais investidores e menos risco, seu balanço e valor de marca serão impactados positivamente.

Conclusão

Percebemos como a governança corporativa além de ser uma grande organizadora de processos, ainda é uma facilitadora e primordial para o sucesso de uma empresa, não é mesmo?

Nós, da Mais Consultoria, estamos sempre atentos em proporcionar aos nossos colaboradores e clientes um processo mais claro e confortável.

Mas e vocês? Gostaram do nosso conteúdo? Caso tenha ficado alguma dúvida, converse com um de nossos consultores!

Até o próximo conteúdo.

Busca

Newsletter

Categorias

Siga-nos

Você também pode gostar de ler