Mapeamento de Fluxo de Valor: gerencie o seu estoque com o MFV

O Mapeamento de Fluxo de Valor é uma ferramenta de comunicação e planejamento que permite que as pessoas entendam seu processo de manufatura com detalhes.

A partir dele, é possível estabelecer uma linguagem comum entre os colaboradores e dar início aos processos de melhoria.

Uma vez definidos os produtos da empresa a serem mapeados primeiro, o estado atual do projeto começa com a coleta de informações como: tempo, número de pessoas envolvidas em cada processo, etc.

O Mapeamento de Fluxo de Valor será a força motriz para a melhoria dos processos responsáveis ​​pela transformação dos produtos.

Depois de executar os diagramas de estado atual e futuro, você notará que muitos processos podem ser removidos de sua empresa.

Vamos entender melhor como aplicá-lo na prática para melhorar a gestão de estoque? ↓

3 principais benefícios do Mapeamento de Fluxo de Valor

Permite a visualização macro dos processos

O MFV possibilita a organização ter uma visão sistêmica de todo processo de um produto.

Por ser tudo compilado em um único mapa as atividades, é possível visualizar: a quantidade de mão de obra empregada, tempo da atividade, tempo entre as atividades, transporte de matéria-prima e do produto final, entre outros processos.

Facilita a identificação dos problemas

Se torna mais fácil enxergar pontos de melhoria que vão trazer, de fato, valor ao cliente. Como por exemplo: a redução no tempo de fabricação, de entrega e a melhora na qualidade final.

Fica mais claro perceber onde é possível diminuir ou eliminar fontes de desperdícios!

Torna os planos de ação tangíveis

Uma parte importante do Mapeamento de Fluxo de Valor é a visualização de onde se quer chegar, e para além disso, como a empresa chegará lá.

As mudanças são realizadas já sabendo qual o resultado esperado, ou seja, são mais assertivas e, consequentemente, mais lucrativas.

Qual a diferença entre o Mapeamento de Fluxo de Valor e o mapeamento de processos?

A principal diferença está no foco dessas duas ferramentas.

O mapeamento do processo concentra-se em uma única etapa, ou seja, uma série de etapas para executar as atividades. Já o mapeamento do fluxo de valor se concentra em todo o processo, desde a entrada até a saída de materiais e informações.

Além disso, o objetivo de realizar o mapeamento de processos é tornar esses processos mais padronizados, permitindo que diferentes agentes entendam e reduzam erros e alterações.

O objetivo do Mapeamento de Fluxo de Valor é determinar o estado futuro e fazer melhorias por meio de outras ferramentas enxutas, como 5SKaizen.

Passo a passo para desenhar um mapa de Fluxo de Valor

1) Organize a equipe e a escolha do produto

Na equipe, é importante ter pessoas de diferentes níveis (estratégia, gestão e operações) e departamentos para facilitar o desenho de todo o processo.

É importante definir um líder de projeto que tenha uma visão sistemática do processo e tenha autoridade para tomar decisões.

Para um produto ou série de produtos, é interessante começar com o produto ou série de produtos que é mais crítico ou de maior valor para o cliente.

2) Observe o fluxo atual

A equipe deve percorrer todo o processo produtivo do produto, do início ao fim, observando todas as etapas e os fluxos de materiais e informações envolvidos.

Recomenda-se fazer esta rota mais de uma vez, ou mesmo fazer outra rota para capturar todos os detalhes do processo.

3) Desenhe o processo atual

Nesta etapa, coletamos a equipe e todas as anotações feitas para a concepção do VSM, enfatizando que é um mapeamento do processo atual porque realmente aconteceu, não o que deveria ser.

Para o primeiro esboço, é recomendável usar papel e lápis para evitar perder o foco em coisas irrelevantes.

Aqui, não é necessário incluir todos os detalhes observados, mas incluir os detalhes essenciais do processo. Alguns exemplos disso são: o número de trabalhadores em cada etapa, o tempo que agrega valor e o tempo do processo que não agrega valor, e assim por diante!

4) Analise o fluxo de valor atual

Neste momento, avalie o fluxo de valor atual com o fluxo de valor estabelecido. É hora de analisar criticamente cada etapa e localizar o desperdício.

Isso pode ser inventário excessivo, tempo de inatividade excessivo, problemas de qualidade levando a retrabalho, etc. Esses pontos de melhoria são marcados com “surto de melhoria” no mapa.

5) Desenhe o fluxo de valor ideal

Após identificar os pontos, a equipe deve desenhar o mapa de fluxo de valor do futuro, ou seja, como será o processo ideal após a implantação das melhorias apontadas no mapa atual.

6) Crie um plano de ação

Depois de criar o desenho do mapa ideal e tendo a aprovação do corpo de lideranças da empresa, chegou o momento de fazer o plano de ação.

É preciso ter clareza em todas mudanças que os envolvidos precisam fazer e ter métricas para medir se a mudança está tendo o resultado esperado!

Por ser uma ferramenta muito completa, o mapeamento do fluxo de valor permite especificar diversos aspectos como: 

  • Detalhamento dos processos com caixas de dados;
  • Quantificação de estoques;
  • Fluxo de informação e sistema de controle;
  • Lead time de manufatura e valor agregado;
  • Demanda do cliente;

Quer aplicar o Mapeamento do Fluxo de Valor na sua empresa?

Apesar do processo de criação de um Mapeamento do Fluxo de Valor ser bastante desafiador e envolver diversas etapas, o seu retorno é bastante positivo.

Por meio dessa ferramenta, as empresas conseguem reduzir significativamente os principais problemas envolvendo desperdícios na produção, principalmente quando falamos sobre a gestão de estoque.

Contratar uma empresa de consultoria pode fazer uma grande diferença nessa hora. Clique no banner abaixo para falar com nossos consultores e entender como a Mais Consultoria pode te ajudar:

​Como garantir maior produtividade na indústria têxtil

Você sabia que o faturamento de uma empresa está diretamente ligado com o nível de produtividade? Neste artigo nós vamos entender como garantir maior produtividade na indústria têxtil!

Aumentar a produtividade da indústria têxtil é uma das formas de otimizar os custos de produção. Pode ser também um desafio muito grande, pois envolve diretamente a qualidade do produto final.

A boa notícia é que existem maneiras de aumentar a produtividade sem afetar na qualidade das peças. Isso é o que mostraremos neste artigo. Vamos lá?

O que é a produtividade industrial?

A produtividade industrial nada mais é do que aproveitar melhor os recursos disponíveis, como equipamentos, mão de obra e matérias-primas, para concluir mais trabalhos em menos tempo!

Existem indicadores utilizados para medir o índice de produtividade, os quais podem ser customizados de acordo com o seu processo de produção.

Esses indicadores irão medir o volume de produção entregue convertido em horas padrão.

​Como garantir maior produtividade na indústria têxtil?

Existem alguns investimentos que são essenciais para manter a produtividade dos produtos no setor têxtil. Confira:

1) Elabore um Planejamento Estratégico

O planejamento estratégico auxilia na definição de metas e objetivos. Ele é fundamental para traçar estratégias e planos de ação também.

Esse conjunto de planos de ação que visam alcançar objetivos específicos, promove uma maior agilidade na hora da tomada de decisão.

Elaborar um planejamento estratégico empresarial é uma tarefa que exige visão crítica, eficiência, um bom embasamento histórico do negócio e conhecimento de mercado.

O planejamento estratégico, aliado ao plano de negócios possibilita a melhor utilização dos recursos, assim como a definição de responsabilidade por ação.

Para gerar melhores resultados, crie estratégias viáveis, acompanhe e analise os resultados!

 

2) Mapeie e padronize os processos

Um dos fatores responsáveis pelo maior desperdício de tempo e de recursos é a falta de padrão na execução de uma tarefa.

O ideal é que cada uma das tarefas tenha a descrição de seu passo a passo. Com esse mapeamento, possibilita que qualquer funcionário execute o procedimento da mesma maneira.

Uma maneira simples de documentar essas informações é usar a ficha técnica de produto. Nela, devem constar a descrição da peça e a quantidade de toda matéria-prima utilizada na confecção.

Outro exemplo de documento é o checklist: ele contém a lista de etapas de cada processo, dando indicações de como realizar uma tarefa completa.

Com o mapeamento, será possível identificar os processos que são desnecessários ou que têm exigido muito tempo dos colaboradores, sem oferecer os retornos necessários.

Leia também: Mapeamento de Processos: otimize o desempenho dos processos da sua empresa

3) Promova uma comunicação transparente e eficiente

De nada adiantará apostar em todas essas implementações se elas não forem corretamente comunicadas às pessoas envolvidas.

Todos os funcionários envolvidos no processo precisam participar de um canal aberto de comunicação  e deixá-los a par das mudanças e decisões.

Diminuir os ruídos presentes na comunicação entre os colaboradores é essencial para aumentar a produtividade. Seja em reuniões, apresentações, comunicados, documentos e fichas técnicas, as informações devem ser claras e objetivas.

4) Forneça boas condições de trabalho

A condição do ambiente de trabalho  agradável e com estímulo à inovação e ao crescimento também é um diferencial importante para tornar uma equipe mais produtiva.

Disposições de máquinas inadequadas, sem local apropriado para estoque das peças de tecidos, roupas, moldes e retalhos que se espalham entre máquinas e outros equipamentos, além de causarem riscos à saúde e bem estar do trabalhador podem prejudicar na produtividade da equipe.

5) Invista em tecnologia e inovação

A tecnologia já se tornou uma ferramenta essencial para as indústrias. No que diz respeito à indústria têxtil, a maioria delas considera o investimento em tecnologia como parte da estrutura do negócio. É nesse cenário que surge a quarta revolução industrial, mais conhecida como Indústria 4.0.

Com soluções como IoT (Internet das Coisas), Inteligência Artificial, Big Data e Machine Learning, o objetivo da Indústria 4.0, que é facilitar a operação e inovar os processos.

A tecnologia pode colaborar para as indústrias têxteis criarem soluções de baixo impacto ambiental. As questões ambientais têm sido alvo de pesquisa e investimento permanente para maquinários, energia e métodos.

Alguns processos biológicos aplicados na fase de tingimento,  conseguem reduzir, em média, 30% no consumo de água e energia elétrica.

Exemplos de tecnologias para a maior produtividade na indústria têxtil:

1) Sewbots

Os sewbots são robôs com software de visão computacional que automatizam tarefas simples, porém, repetitivas.

Eles auxiliam na confecção, etiquetação, controle de estoque e em várias outras funcionalidades, trazendo mais produtividade às indústrias têxteis.

2) Impressão 3D

Por meio da necessidade de diminuição de desperdício de tecidos, a impressão 3D vem com o objetivo de contribuir e ainda melhorar as técnicas de customização e otimização de tempo.

Ao utilizar essa tecnologia na fabricação têxtil, é possível diminuir consideravelmente o descarte de resíduos de materiais, além de produzir peças em um tempo muito menor que o normal.

O trabalho para aumentar a produtividade na indústria têxtil é frequente. Mantenha-se atento às novidades do mercado constantemente. Para isso, acompanhe todos os processos, ouça opiniões, converse com clientes e fornecedores.


Precisando aumentar a produtividade da sua indústria?

A Mais Consultoria atua há mais de 18 anos no mercado oferecendo soluções para os seus clientes em otimizações de processos, estratégia, gestão financeira e qualidade. Entre em contato no banner abaixo e converse com um de nossos consultores para, juntos, impulsionarmos a sua empresa!

ROI: Aprenda a calcular o seu retorno de investimento

Você conhece uma estratégia que traga resultados e aproxime o negócio de seus objetivos? Além disso, sabe como medir se eles estão sendo implementados de forma eficaz e se o dinheiro e o tempo investidos estão sendo pagos?

Nesse artigo, você vai aprender a calcular o seu retorno de investimento dos processos da sua empresa! Vamos lá?

O que significa “ROI”?

ROI é um termo em inglês, Return on Investment, trazuindo significa Retorno sobre o Investimento.  Este indicador avalia o retorno do investimento dos investimentos próprios e de terceiros.

Esse indicador pode ser usado para calcular investimentos específicos. Por exemplo, se você já investiu em um determinado departamento da empresa e deseja saber o retorno do investimento, o ROI é o seu indicador ideal.

Ao calcular essa métrica, você pode ver se o retorno não é tão bom quanto o esperado. Ou seja, se sua empresa está tendo lucro ou perdendo dinheiro. Além disso, por meio desse cálculo, é possíveis identificar falhas e realizar possíveis correções com mais facilidade.

O Retorno sobre o Investimento é uma métrica usada para medir a taxa de retorno obtida com um determinado montante de recursos. A taxa de retorno do investimento é derivada da relação entre o lucro líquido obtido em um determinado período e o valor do investimento, ou seja:

Essencialmente, o ROI expressa a lucratividade de uma empresa, mostrando a relação entre o valor do investimento e a margem de lucro obtida em cada aquisição.

Essa métrica também pode ser usada para calcular e interpretar o retorno de cada investimento (como investimento em marketing) feito separadamente.

No entanto, se já conheço o lucro total do meu investimento, por que preciso apurar o valor obtido separadamente? A resposta a esta pergunta é simples: otimize seus movimentos e obtenha resultados mais expressivos!

Qual é a importância do ROI?

O retorno do investimento é muito importante para as empresas porque é uma forma de observar e quantificar o sucesso de seus investimentos.

Imagine que uma organização tenha dúvidas sobre como investir uma determinada quantia em um departamento de segurança pública ou em uma empresa iniciante. Por exemplo, a taxa fixa de retorno sobre títulos é fixa – 5% ao ano – o retorno sobre o investimento de uma empresa iniciante no mesmo período é de 6%.

Desta forma, pode-se observar que o ROI não só ajuda a analisar qual investimento é mais benéfico para a empresa, mas também pode ser utilizado para medir se o investimento interno é lucrativo como a análise anterior.

Vantagens em calcular o Retorno do Investimento

1.Reduz custos

O retorno do investimento garante que você receba muitas informações de que precisa para reduzir o custo do seu investimento.

2. Otimiza investimentos

A partir do momento em que você consegue identificar oportunidades para reduzir despesas que se mostram desnecessárias, você aplica seus recursos de forma mais inteligente!

3. Motiva sua equipe

Quão motivada sua equipe ficarão quando tiverem um objetivo claro e uma ferramenta real para avaliar o caminho para a realização?

À medida que os resultados melhoram – o retorno sobre o investimento pode de fato alcançar esse desenvolvimento – a participação de todos será maior. Vale lembrar que a motivação é uma parte importante do sucesso.

Como formular um plano de ação com base no ROI?

A possibilidade que o retorno do investimento seja visto como uma porcentagem ajuda no planejamento e, portanto, nas escolhas da empresa.

Em primeiro lugar, para desenvolver um plano de negócios, é essencial obter informações confiáveis. Para isso, é necessário ter uma plataforma que permita obter todos os dados úteis por meio de relatórios detalhados de cada departamento.

Em seguida, compare o investimento e o lucro da empresa como uma porcentagem do investimento e classificar de acordo com esses retornos para facilitar a visualização do melhor investimento.

Por fim, é necessário escolher a melhor alternativa, ou seja, a alternativa que traz o melhor retorno sobre a meta, o investimento e o prazo, para então se concentrar na formulação de uma estratégia e plano operacional com base nesses planos.

Atenção: sozinho, o ROI não te dirá nada! Será apenas um número qualquer.

Não existe uma solução mágica! Para ser eficaz, é necessário realizar uma análise do ROI, considerando as características de cada ação. Um erro comum é permanecer com ação intocável, sem fazer a análise e os ajustes que ela pede.


Assine a nossa newsletter e receba conteúdos diretamente no seu email todo mês!

Diminua os custos e aumente a produção com o método kaizen

Você já conhece o metódo kaizen? Sabia que através dela é possível diminuir expressivamente os custos, aumentar a produção e uma série de melhorias no seu negócio?
O método Kaizen estabelece padrões elevados de qualidade, compromisso, esforço de todos funcionar pela vontade de mudar.
Então, se você quer entender o que é Kaizen, como usar este método e como colocá-lo em prática, leia este artigo até o fim.

O que é o método Kaizen?

Kaizen é uma palavra japonesa que significa “mudar para melhor” e hoje tem sido utilizada como uma filosofia de melhoria contínua em geral. Seja pessoal, social ou profissional.
Segundo Kaizen, melhorias sempre são possíveis e você deve implementar melhorias todos os dias, seja na gestão da empresa, seja nos funcionários e gestores. Vale ressaltar que, para não atrapalhar o equilíbrio da empresa, o ideal é que a melhoria seja gradual e nunca repentina.
Essa metodologia é muito valiosa para a gestão industrial porque seus principais benefícios são: redução de custos e aumento da produtividade.

Qual o objetivo do método Kaizen?

Para entender o propósito desse método, basta observar seus benefícios! Portanto, listamos algumas das principais vantagens do método Kaizen:

  • Melhorar a qualidade dos processos e da produção
  • Aumentar a satisfação do cliente
  • Envolver todos os colaboradores
  • Reduzir o desperdício da empresa;
  • Aumentar a produtividade sem grandes investimentos;
  • Adquirir uma gestão mais transparente;
  • Voltar atenção para onde se cria valor de fato (“chão de fábrica”);
  • Focar nos processos;
  • Priorizar as pessoas;
  • Aprender fazendo.

Quando utilizar o método Kaizen?

Quando o método Kaisen deve ser usado? Embora o método Kaizen possa ser considerado uma filosofia de gestão empresarial, e não uma ferramenta contendo receitas e procedimentos, a questão é: quando aplicar a filosofia Kaizen?
É claro que este conceito é muito adequado para mudanças graduais que exigem mudanças de longo prazo e principalmente por alguma alteração na cultura da empresa. Se a cultura corporativa for mais personalizada e focada no sucesso de curto prazo, é preferível usar algum método de revisão de processos com esse objetivo.

Como aplicar o método Kaizen em 7 passos

A aplicação do método Kaizen tem como base o ciclo PDCA, ou seja:

  • Planeje (Plan): desenvolva uma hipótese;
  • Faça (Do): execute o experimento;
  • Verifique (Check): avalie os resultados;
  • Aja (Act): aperfeiçoe sua experiência e dê início a um novo ciclo.

Passo 1 – Defina quem será líder do projeto

Antes de iniciar um projeto de melhoria contínua, é necessário definir quem vai liderar o projeto.

O líder selecionado ficará responsável por atualizar os demais membros da equipe no processo e orientar as ações com base nos resultados.

Passo 2 – Defina a equipe que irá executar

O segundo passo para aplicar o Kaizen é formar uma equipe que irá implementar melhorias.

Curiosamente, esses grupos são compostos por profissionais de diferentes departamentos da empresa. Portanto, por meio dessa natureza multidisciplinar, será possível usar diferentes ideias para resolver diferentes problemas.

Passo 3 – Identifique oportunidades de melhoria

A aplicação do Kaizen também envolve a identificação de oportunidades de melhoria. A equipe deve trabalhar em conjunto para encontrar defeitos do programa e analisar quaisquer problemas que precisem ser resolvidos.

Passo 4 – Estabeleça de metas e objetivos

Após identificar oportunidades de melhoria, é necessário estabelecer metas e objetivos para solucionar os problemas mencionados. Essa etapa é importante para que a equipe entenda para onde deve ir e quais resultados devem buscar.

Mas lembre-se: as metas e objetivos precisam estar dentro do padrão SMART, o que significa que elas devem ser Específicas (Specific), Mensuráveis (Measurable), Alcançáveis (Achievable), Relevantes (Relevant) e com Prazo determinado (Time-based).

Passo 5 – Construa o plano de ação

A melhoria só pode ser alcançada se for formulado um plano que oriente as ações coletivas e individuais.

A equipe precisa saber o que fazer, quando concluir, quem concluir, onde concluir, quanto gastar, quanto orçamento, etc.

As respostas a essas e outras perguntas ajudarão a desenvolver um plano de ação, que é uma ferramenta necessária para implementar aplicativos aprimorados.

Passo 6 – Executar as atividades

Não há muitos segredos aqui! Após definir o plano de ação, coloque-o em prática. Todos devem fazer a sua parte para ajudar os outros quando necessário, e cumprir orçamentos e prazos.

Passo 7 – Monitorar e avaliar os resultados

Todo o processo de melhoria contínua deve ser analisado e os resultados monitorados. Por se tratar de um processo contínuo, é imprescindível monitorar constantemente o andamento da ação para que os ajustes necessários possam ser feitos!

Que tal se aprofundar no assunto?

Masaaki Ima é um dos principais responsáveis por esse movimento e considerado por muitos como o pai do Kaizen. Além disos, ele é o autor do livro Kaizen – The secret to Japans competitive success e fundador do Kaizen Institute.

Masaaki conseguiu levar seus ensinamentos e práticas para todo o mundo. Para ele, o trabalho em equipe deve prevalecer sobre o individual!

Quer utilizar a filosofia kaizen para reduzir custos, aumentar a produtividade da sua empresa, mas não sabe por onde começar? Entre em contato conosco, basta clicar no banner abaixo!