Principais erros de um planejamento financeiro

O desenvolvimento de uma boa gestão financeira é essencial para o crescimento de qualquer empresa e pode ser um fator chave para determinar o sucesso ou o fracasso de uma empresa. Por isso mesmo, listamos nesse artigo do blog os principais erros de um planejamento financeiro, para o seu negócio não cair em certas armadilhas.

Continue a leitura para descobrir os principais erros de um planejamento financeiro!

Afinal, o que é o planejamento financeiro?

Antes de sabermos quais são os principais erros, é necessário ter um bom entendimento do que é o planejamento financeiro em si.

O planejamento financeiro é o processo contínuo de determinar a estratégia de negócios e desenvolver métodos para atingir as metas!

É a base de quase todas as decisões internas, por exemplo, avaliar o momento certo para fazer um determinado investimento, reavaliar custos e determinar formas de otimizar determinados processos no negócio.

Todos os objetivos da empresa são realizados através desta importante ferramenta e, se utilizada de forma adequada, servirá de base para a tomada de decisões e repassará segurança a todas as áreas funcionais. No entanto, se as finanças forem geridas da forma errada, os impactos podem ser profundos e, até em alguns casos, irreversíveis, levando a falência de uma empresa.

Se você quer entender mais a fundo e ter acesso a um PASSO A PASSO PARA REALIZAR O SEU PLANEJAMENTO FINANCEIRO, clique aqui!

Descubra os principais erros de um planejamento financeiro:

 

  1. Não separar as finanças pessoais das finanças empresariais

Este é um erro muito comum que ocorre principalmente por empreendedores e empreendedoras que estão no início do seu negócio e pequenas empresas.

Imagine o seguinte cenário: ao final da semana de trabalho, todo o dinheiro obtido seja guardado em uma gaveta e usado para pagar algum investimento pessoal.  No final do mês, qual será o lucro que a empresa teve e quanto de salário você recebeu?

Misturar finanças da empresa com finanças pessoais pode tornar tudo muito confuso e levar a incompatibilidades de informações! Quando gastos pessoais e empresariais se misturam, a pessoa pode achar que a empresa está de fato tendo lucratividade quando, na verdade, é o contrário. Complicado, né?!

Em resumo, fazer essa divisão não apenas ajuda a reduzir problemas, mas também facilita o gerenciamento das finanças empresariais. Isso vai garantir que você tenha o controle financeiro também, sabendo exatamente o quanto têm e quanto pode investir no futuro da empresa, seja uma contratação, algum maquinário, entre outros investimentos.

2. Não projetar o fluxo de caixa

Pegando o link com o que foi falado no último tópico, é de extrema importância projetar o que você terá que pagar nos próximos meses e as receitas que vão entrar nesse período. Para isso,  é feito o fluxo de caixa, um instrumento básico de planejamento e controle financeiro.

O propósito dessa ferramenta é calcular e projetar o saldo disponível para que sempre haja um capital de giro para investimento ou despesa final.

O fluxo de caixa te permite realizar um planejamento a longo prazo e também analisar o que você projetou e o que realmente foi realizado, acompanhado de uma análise que indique por quais motivos as coisas saíram como o esperado ou não.

Com o fluxo de caixa, você consegue:

  1. Reduzir as despesas sem o comprometimento do lucro
  2. Planejar os próximos investimentos
  3. Organizar promoções para desencalhar produtos do estoque
  4. Planejar a solicitação de empréstimos
  5. Garantir uma negociação a longo prazo com fornecedo

3. Não ter controle de estoque

Você deve estar perguntando: “mas, o que o estoque tem a ver com isso?” Sim, tem tudo haver! A falta de gestão do estoque não afeta apenas a parte logística do empreendimento, mas as áreas de vendas e financeira também.

As ações da empresa devem sempre ser registradas e atualizadas com base em retiradas e compras. Calcular o estoque ideal para minimizar os custos de armazenamento e otimizar as compras para possíveis descontos, também é uma ótima estratégia para melhorar sua situação financeira.

Ao abandonar o controle de estoque, a empresa ficará nas mãos do destino, podendo haver altos gastos emergenciais ou itens de estoque muito longos para torná-los obsoletos.

Confira também:

Gestão de estoque eficiente: impacto nos custos e lucro

A importância do estoque para certos segmentos

Estoque: aliado ou inimigo?

4. Não saber quanto cobrar pelo seu produto ou serviço

Você sabe qual é o custo daquilo que você produz? O quanto você gasta pra produzir o seu produto, incluindo matéria-prima, mão-de-obra e custos fixos?

O preço de venda é o valor que será cobrado dos seus clientes por seu produto ou serviço, ou seja: por quanto você vai vender o que faz!

Esse valor precisa te dar retorno, portanto ele deve cobrir o custo de produção, as despesas com a comercialização/venda e a porcentagem de lucro que você deseja.

Levando isso em consideração, antes de determinar por quanto você vai vender algo, precisamos colocar na ponta do lápis quanto você gasta para produzir o que vende e o quanto você quer ter de lucro por aquilo.

Possuindo isso tudo no planejamento financeiro, é possível saber até quantos por cento é possível que você dê de desconto para o cliente sem comprometer o seu caixa.

5. Não saber gerir o lucro obtido

Após um mês de boas vendas e enormes lucros, é hora de reinvestir os lucros dentro da empresa para obter mais e mais lucros, certo? Investindo esse dinheiro para outros fins não prioritários, a saúde da empresa pode ser altamente prejudicada.

Você pode modificar o processo operacional de várias maneiras para conduzir uma análise financeira da empresa, mas também pode fazer algumas coisas simples no gerenciamento diário para melhorar a situação financeira da sua empresa.

Evitar multas por atraso pode ser a diferença entre terminar o ano no vermelho ou no azul. Portanto, se livre das despesas fixas antes de gastar o seu lucro. Tenha um planejamento financeiro com datas para uma melhor organização da sua empresa.

Coloque na prática: faça um planejamento financeiro empresarial

Você viu que o planejamento financeiro empresarial é essencial para garantir a prosperidade financeira de todos os negócios e, consequentemente, ganhar destaque no segmento em que atua. Quando se trata de saúde financeira, todo cuidado é pouco!

O seu negócio já tem um planejamento financeiro? Precisa rever esse planejamento para garantir um ano de sucesso?

 

Banner para direcionar as pessoas