Margem de lucro: aprenda a calcular e analise para dar os próximos passos

Pessoas comentando sobre margem de lucro

Todo empreendedor que se preze sonha em abrir o seu negócio e em fazê-lo prosperar. Porém, antes de tirar esse sonho do papel, é preciso saber qual a margem de lucro que o projeto trará.

É justo sermos bem realistas, porque  o universo corporativo não tá para brincadeira. Quem compra quer resolver um problema e quem vende, quer atender necessidades e, obviamente lucrar.

Sem receita, uma empresa não se torna sustentável e não entrega aquilo de melhor que se propõe a fazer no mercado.

Por isso, antes de qualquer coisa, você precisa saber como calcular e examinar a margem de lucro da sua marca. E, para te ajudar nessa demanda, nós preparamos este post com todas as informações essenciais.

Boa leitura!

O que é margem de lucro?

Lucro é a diferença entre a receita de uma empresa conseguida por meio das vendas e os custos necessários com a fabricação do produto ou serviços oferecidos por ela. Já a margem de lucro é um valor percentual ganho através de uma ligação entre o lucro bruto e a receita total.

A finalidade da margem de lucro é definir por qual valor será comercializado um produto ou serviço. Para se chegar a margem de lucro, fatores do mercado são considerados e também o quantitativo que a empresa deseja arrecadar.

O que considerar para aplicar uma margem de lucro atrativa?

Para a aplicação da margem de lucro é necessário considerar todos os gastos na confecção / aquisição de um produto ou serviço. Leva-se em conta também o que foi gasto no processo de venda, incluindo o transporte do produto. No caso, é necessário distinguir custos, despesas e investimento.

Custos

Os custos são considerados na hora de calcular a margem de lucro e representam os gastos que um negócio teve com o seu produto ou serviço. 

Em outras palavras, diz respeito a todos os recursos financeiros empregados para a compra ou fabricação de um produto, ou mesmo a criação de um serviço que será comercializado na sequência.

Como exemplo, podemos citar: a aquisição de matéria-prima, contratação de mão-de-obra e energia elétrica.

Importante destacar que os custos se dividem em dois tipos: fixos e variáveis:

  • Custo fixo é aquele que não sofre qualquer alteração diante do aumento ou diminuição da produção. Podemos considerar como custo fixo a folha de pagamento de todos os funcionários. Independente de um mês mais produtivo que o outro, o salário precisa ser pago.
  • De forma contrária, temos o custo variável que, como o próprio termo sugere, pode modificar devido à quantidade das entregas que uma empresa tem a fazer. Um bom exemplo a citar, nesse caso, são empresas que terceirizam a mão-de-obra para limpeza de outras instituições.

Despesa

Despesa é todo e qualquer valor desembolsado para garantir a manutenção da estrutura de um empreendimento, bem como a venda dos seus produtos e serviços.

Se pararmos para observar a estrutura de uma organização, sabemos que por trás da linha de frente há equipes se mobilizando para pensar na melhor forma do produto ou serviço chegar até o consumidor.

Aqui, mais precisamente, estamos falando de quem trabalha na parte mais estratégica da empresa, a área administrativa e comercial. 

Assim como o custo, a despesa também pode se caracterizar como fixa e variável. Logo, aqui a despesa fixa  caberia como a responsabilidade em manter em dia o salário da equipe desses setores, além do time de vendas. 

Por outro lado, comissionamento da equipe de vendas se enquadraria como despesa variável, já que o valor pode alterar conforme o volume vendido no período.

Investimento

Como parte integrante da margem de lucro temos ainda as aplicações feitas pela organização.  Estamos falando de gastos cujo intuito é alavancar a marca, otimizando a sua imagem perante o público e o mercado na totalidade.

Consequentemente, aumentarão as chances de fechamento de negócios relevantes, elevando o volume de vendas, fazendo com que a empresa veja seu crescimento dia após dia.

Compra de maquinário com tecnologia mais avançada e educação dos funcionários através de cursos em todos os níveis são considerados investimentos em uma empresa.

Ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio corresponde ao valor mínimo arrecadado por uma empresa para não enfrentar dificuldades dentro de um período específico. Quando isso ocorre, a empresa não tem perdas nem ganhos, ou seja, não gera receita.

Ter ciência sobre o ponto de equilíbrio é importante para ser possível determinar o volume de vendas que a sua empresa precisa fazer para que as contas se mantenham equilibradas, Diante de todo esse esforço, dificilmente você verá sua conta no vermelho.

Ultrapassando esse limite, as receitas começam a chegar. Logo, o ponto de equilíbrio ajudará na melhoria do estabelecimento da margem de lucro, além de colaborar para que as metas sejam definidas de modo mais assertivo.

Como fazer o cálculo da margem de lucro?

O primeiro passo para calcular a margem de lucro é fazer um levantamento de todos  os gastos embutidos no orçamento  da empresa. Com todos esses dados, será mais fácil definir qual o preço terá o seu produto ou serviço. 

Dessa forma, não só é possível tornar o seu negócio mais lucrativo como também “turbinar” o volume de vendas.

Por causa desse mapeamento, é possível estruturar todas as contas visando  acompanhar o status das finanças da organização. Entretanto, além dos gastos e perspectiva de receitas geradas, outros pontos devem ser considerados para o cálculo da margem de lucro. Questões estratégicas importantes devem estar inclusas:

  • Valor percebido — à medida que o cliente percebe o calor que lhe é oferecido, maior é o preço que ele concorda pagar pelo seu produto ou serviço;
  • Status gerado – quando a sua organização tem destaque no mercado perante à concorrência, o seu serviço consegue incorporar status ao cliente;
  • Concorrência – quanto maior a margem de lucro, mais caro se tornará o que quer que a sua marca ofereça.  Isso irá favorecer o seu concorrente;
  • Oferta e demanda – se houver ausência de profissional qualificado para executar um serviço, o valor dele pode aumentar consideravelmente. Consequentemente, os ganhos dessa empresa aumentarão;
  • Complexidade – A confecção de um determinado produto pode exigir um nível de conhecimento mais avançado de quem irá fabricá-lo. Esse é um fator determinante para aumentar a margem de lucro.

Cálculo da margem de lucro bruta

A margem de lucro bruta está diretamente relacionada com o percentual de ganho adquirido por uma organização após a diminuição dos custos envolvidos. Dessa forma, é possível estabelecer o quão rentável é o negócio, mostrando a taxa do ROI (Retorno Sobre Investimento) atingida.

A fórmula da margem de lucro bruta é constituída pelo seguinte:

  • Margem de lucro bruta = lucro bruto / faturamento total x 100

Por exemplo, uma empresa vendeu um serviço com duração de 12 meses que rende R$ 200.000,00. Para executá-lo, gasta R$ 10.000,00 com profissionais e materiais para a execução  das atividades. 

Com isso, “sobram” R$ 100.000,00 de lucro bruto. Utilizando a fórmula acima, teremos uma margem de 50% de lucro bruto.

Cálculo da margem de lucro líquida

A margem de lucro líquida é o ganho final que uma empresa obtém após retirar não só os todos os gastos, mas também os impostos devidos. Ela mostra o quanto de lucratividade real uma instituição consegue obter. Abaixo, temos a seguinte fórmula:

  • Margem líquida = lucro líquido / faturamento total x 100

Vamos considerar a mesma situação utilizada para exemplificar o cálculo da margem bruta. Sabemos que tem “sobrando” no caixa o valor de R$ 100.000,00. O total de gastos com despesas que incluem aluguel, serviço de internet banda larga, entre outros, totalizam R$ 50.000,00. Com isso, teremos R$ 50.000,00 de lucro líquido.

Se utilizarmos a fórmula acima, teremos;

  • margem de lucro líquida = R$50.000,00 / R$200.000,00 x 100;
  • margem de lucro líquida = 0,25 x 100,
  • margem de lucro líquida = 25%

Conclusão

Conhecer e aplicar a margem de lucro do seu negócio é fundamental para a sua sustentabilidade no mercado. No post de hoje, falamos sobre ela, os tipos e como calcular antes de partir para o próximo passo da sua estratégia.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo e que seja bastante útil para a sua empresa. Veja outros clicando aqui.

Ou entre em contato conosco caso precise de ajuda de um de nossos especialistas.

Busca

Newsletter

Categorias

Siga-nos

Você também pode gostar de ler