Design Thinking: o que é e como aplicá-lo no seu negócio?

O Design Thinking é uma metodologia de trabalho para solucionar questões inspiradas na forma de pensar do ramo do design. Ela tem como objetivo resolver problemas e melhorar o bem-estar das pessoas, ou seja, a metodologia privilegia soluções práticas e criativas.

Nas empresas esse conceito traz o foco para a experiência do cliente de forma holística, combinando análise e iniciativas que valorizem a atividade da empresa.

Mas, você deve estar se perguntando: qual é a importância de se pensar como um designer dentro das empresas?

Continue lendo o artigo e entenda como Design Thinking ajuda no processo de inovação dentro de uma organização.

Como surgiu o Design Thinking?

O processo de Design thinking teve origem em uma empresa norte-americana chamada IDEO. Tim Brown, fundador da empresa e um dos idealizadores do processo, afirmou que o design se tornou muito importante para ficar apenas nas mãos dos designers.

Durante os anos seguintes, a IDEO teve o êxito de convidar várias pessoas altamente influentes e experts de diferentes áreas.

Aliando o conhecimento teórico da academia com a prática do design, a ideia era criar equipes multidisciplinares para aumentar e melhorar a equipe e processos de design.

A IDEO ganhou reconhecimento e com isso, eles conseguiram disseminar essa ferramenta. Foi a partir daí, que termos como design thinking e design centrado no ser humano, ganharam popularidade, tanto entre designers quanto entre profissionais de outras áreas.

Quais as vantagens da aplicação do Design Thinking?

Muitos gestores ainda têm dificuldades para enxergar os benefícios do design thinking e quando o próprio assunto é inovação. É um grande desafio aplicar a metodologia, mas é uma das formas mais eficazes de solucionar problemas de qualquer organização.

Confira os benefícios de aplicar o Design Thinking em seu negócio:

1. Ajuda na resolução de problemas

O design thinking é, basicamente, uma ferramenta que gera novas soluções. A criatividade não é um dom que se aplica a certo tipo de pessoa. Ela está em todos nós e deve ser constantemente incentivada. A criatividade é a chave para uma solução inusitada, inesperada e extremamente eficaz!

2. Facilita a criação de novos produtos e serviços

O design thinking corta o caminho caótico, fazendo com que a ideação e validação do projeto sejam aplicados de maneira mais rápida. Além disso, todas essas soluções surgem a partir de uma visão holística sobre toda a empresa.

Vale ressaltar que o Design Thinking tem foco nas soluções internas e nas necessidades reais do mercado, ou seja, ele não opera em suposições idealistas.

3. Tem um ótimo custo-benefício

Comparado ao benefício que gera dentro da instituição com outros possíveis investimentos, a ferramenta e seus conceitos têm um valor muito baixo.

Trata-se de uma filosofia muito simples, que não exigirá altos investimentos. O maior custo, talvez, seja o de modificar a cultura organizacional para aderir às práticas do design thinking, pois só assim algum resultado será alcançado. As possibilidades de sucesso são gigantes, mas é necessário um esforço diário.

Bacana, e agora? Como aplicá-lo ao seu negócio?

Como aplicar o design thinking na sua empresa

O design thinking não é uma metodologia, um cálculo pronto para ser aplicado. Por ser uma abordagem, há variações no número de etapas de uso dele, mas a estrutura se baseia no caminho do processo criativo, colaborativo e prático!

1. Entenda o público

Entender o público é o mesmo que saber para quem você está criando a solução. Para que este passo funcione corretamente, a empatia é muito importante.

Ser capaz de se colocar no lugar do usuário e entender como o problema afeta a sua vida é um prerrequisito para encontrar uma solução adequada. Uma pergunta-chave desta etapa é: como podemos melhorar algum aspecto da vida do nosso usuário?

2. Defina um foco

É bem provável que durante o processo, você identifique diversas questões para atuar. No entanto, qual das necessidades você deve procurar atender em primeiro lugar?

Após definir um alvo, coloca-se foco no processo criativo. Além disso, a manutenção do foco é crucial para que o processo avance, principalmente dentro de uma equipe multidisciplinar.

3. Brife ideias

Esta é a etapa onde ocorre um brainstorm com uma equipe multidisciplinar para promover a troca de ideias e alcançar uma solução. Nesta fase, é importante não descartar ideias e recebê-las sem julgamento.

Uma ferramenta muito usada nesta etapa são os mapas mentais. São diagramas utilizados para a gestão de conhecimento e informações. Eles podem conter desenhos, imagens, ícones, setas, cores, além de linhas de formas e espessuras diferentes.

→ Conheça uma ferramenta gratuita para a criação de mapas mentais

4. Crie um protótipo

Nesse momento, a equipe deve procurar concretizar as ideias no mundo físico. Esta fase pode ser uma fonte de aprendizado e pode servir como inspiração para novas ideias.

O protótipo serve para testar funcionalidades e verificar o entendimento das questões do usuário.

5. Teste e receba feedbacks

Esta é a etapa onde se recebe feedback. Ao realizar testes com alguns usuários, a empatia deve aumentar.

Utilizamos o protótipo e planejar cenários onde os testes serão realizados. É importante estar atento e anotar, capturando o máximo de informações que possam contribuir para a melhoria do produto ou serviço.

Preparado(a) para inovar no seu negócio?

Sair de um processo árduo de criação e modernização pode fazer com que a empresa consiga identificar as demandas atuais do mercado com rapidez e eficiência. A Mais Consultoria aplica o design thinking e outras ferramentas, ajudando empresas dos mais diversos ramos a inovarem seu negócio.

Se você quiser conhecer como uma consultoria especializada em inovação pode ajudar sua empresa, clique aqui.

Diagnóstico Gratuito