Blog

Blog Blog

Você está em Home Blog Guia completo: Planejamento Estratégico
26/10/2018

Guia completo: Planejamento Estratégico

Guia completo: Planejamento Estratégico

O sonho de ter seu próprio negócio faz parte da vida de muitas pessoas. Por isso, a taxa de novas empresas está sempre em progressão. Porém, os números também indicam que boa parte dos novos negócios, são rompidos nos primeiros anos de existência. E, na maioria dos casos, o motivo é único: a falta de Planejamento Estratégico.  A empresa precisar documentar qual o objetivo da sua existência, quais metas precisam ser alcançadas, o que tende a ser uma ameaça de mercado, entre tantas outras informações indispensáveis para entender a organização.

Sabendo da importância do Planejamento Estratégico para a consolidação dos negócios, nós criamos este guia completo. Aqui, você terá todas as informações necessárias para que sua empresa tenha sucesso. Desde o alinhamento estratégico, a execução e as vantagens de ter um Planejamento Estratégico, até dicas para driblar os problemas da empresa.

Pronto para entender tudo sobre PE?

O primeiro momento é alinhar as estratégias. Vamos lá?

Alinhamento estratégico: o segredo do sucesso das grandes empresas

Todo novo empreendedor, que está começando seu negócio e precisa lidar com gestão, satisfação dos funcionários e estratégias, se pergunta: como as grandes organizações conseguem lidar com tantos detalhes em larga escala? Resposta: alinhamento estratégico.

Alinhamento estratégico consiste em unificar a visão de todas as partes da empresa. Todos os envolvidos no negócio devem buscar um mesmo objetivo final e agir para alcançá-lo.

O que deve estar no foco do meu alinhamento estratégico?

Quando falamos sobre unificar a visão das partes essa ideia pode ficar um pouco confusa. Mas existem alguns pontos principais que devem ser a base do seu alinhamento estratégico.

Esses são os pontos que devem ser conhecidos, entendidos e até decorados se necessário por todos envolvidos no seu negócio.

São eles: a missão, a visão, os valores e os objetivos macros de uma empresa. E todas essas partes fazem parte do planejamento estratégico.

  • Missão

É provável que no planejamento estratégico (PE) da sua empresa haja mais de um objetivo-macro, no entanto, cada organização tem apenas uma missão, que se traduz no motivo da empresa existir.

É essa missão que todos os seus colaboradores devem saber de cor, entender o porquê e utilizá-la como base para qualquer tomada de decisão.

Caso sua empresa ainda não tenha uma missão definida, é hora de criá-la. Como já dissemos, a missão de uma empresa é a razão dela existir.

Sua empresa foi criada com qual objetivo? O que você gostaria que a sua marca realizasse todos os dias? Essa é a missão de uma organização.

Vamos supor que você tenha uma indústria de calçados infantis, a missão da empresa poderia ser: produzir calçados confortáveis e anatômicos para crianças de todo o Brasil.

Depois disso, é preciso divulgar a missão para todos os envolvidos no negócio. Dessa forma, é possível trabalhar o alinhamento estratégico.

  • Visão

visão também deve estar documentada no planejamento estratégico. Ela diz onde a empresa quer estar em um determinado tempo. É uma visão futura da organização.

No nosso exemplo da empresa de confecção de calçados infantis, a visão poderia ser: ao final de 2020 estaremos entre as 3 melhores fábricas de calçados infantis do Brasil.

Repare que a visão é sempre bem mensurável, há uma data limite e um objetivo concreto a ser alcançado.

  • Valores 

    Missão, visão, valores

Os valores de um empresa são as crenças princípios que regem o trabalho e as decisões da organização.

A firma cumprirá sua missão e alcançará a longo prazo a sua visão respeitando seus valores, princípios e crenças.

No caso hipotético dos calçados infantis, os valores poderiam ser: diversão, felicidade, compromisso, conforto, praticidade e segurança.

Entendeu a ideia? Os valores são realmente os princípios que sustentarão a organização.

  • Objetivos macros

Os objetivos macros são os principais objetivos que devem ser alcançados durante o ciclo daquele planejamento estratégico.

E aqui já começa o alinhamento estratégico do qual estamos falando. A missão é o motivo da empresa existir, e os objetivos macros devem auxiliar o cumprimento da missão e da visão.

Portanto, se seus objetivos macros não ajudam em nada no alcance da visão da empresa, seus objetivos não servem para nada e estão estrategicamente errados.

Os objetivos serão desdobrados em estratégias, metas e indicadores, para que assim as estratégias possam ser divididas entre áreas e os responsáveis possam ser nomeados.

Quando essa divisão começa a acontecer, o desalinhamento também começa a aparecer. É neste momento que precisamos trabalhar o alinhamento estratégico.

Como fazer o alinhamento estratégico?

premissa básica do alinhamento estratégico consiste em alinhar todos os pontos do planejamento estratégico com todos os colaboradores da empresa.

Todas as dicas que nós daremos a seguir sobre alinhamento estratégico serão formas de trabalhar a relação planejamento estratégico – membros da empresa.

  • Processo seletivo

O alinhamento estratégico já começa no processo de seleção de novos membros. Pois os valores de um indivíduo são muito difíceis de serem modelados.

Por isso, na hora de contratar novos funcionários é necessário identificar seus valores pessoais. Assim, é possível saber se esses estão em harmonia com os valores da empresa.

Esse é o primeiro passo para que o funcionário tenha sucesso na organização e para que a organização não tenha problemas com o funcionário.

Dessa forma, ela é parte imprescindível também do alinhamento estratégico, uma vez que se o colaborador não agir de acordo com a expectativa da empresa problemas surgirão inevitavelmente.

  • Reuniões Gerais

As reuniões gerais são uma ferramenta muito utilizada para melhorar a comunicação interna, passar comunicados e fazer dinâmicas.

Nela, todos os membros da empresa se reúnem para debater questões importantes, dar repasses, comunicados oficiais e até confraternizar.

É importante aproveitar as reuniões gerais para divulgar novas práticas e explicar para os colaboradores as partes do PE, cada estratégia, meta e indicador.

Dessa forma, cada funcionário se sentirá um pouco mais responsável por cada meta da organização. Metas compartilhadas têm mais chances de serem alcançadas.

Alinhamento dos níveis estratégico, tático e operacional

Ao trabalhar o alinhamento estratégico você alinha os objetivos macro à missão e à visão da empresa, e daí surgem as estratégias, metas e indicadores.

Os responsáveis por cada estratégia e meta devem estar alinhados com os gestores que estão mais acima na hierarquia e também com a sua equipe de liderados. Ou seja, cada membro deve estar com suas ideias e práticas alinhadas ao seu líder e seu liderado – se houver.

Dessa forma, todos os membros, desde o CEO até o operário, estarão alinhados e, consequentemente, suas práticas convergirão para o mesmo objetivo final.

Estando alinhados os níveis estratégico, tático e operacional, todas as áreas da empresa estarão alinhadas também, gerando um esforço coletivo e direcionado.

alinhamento estratégico é muito importante e, como você deve ter percebido, é trabalhado em cima do PE. Mas você sabe como executar um planejamento estratégico e quais são seus níveis? Continue lendo e saiba tudo sobre PE.

Executando o PE: níveis estratégico, tático e operacional

Todo mundo sabe que ter um bom Planejamento Estratégico (PE) é primordial para o crescimento contínuo da organização. No entanto, o que nem todos sabem é que o PE se desmembra em outros dois planejamentos: o tático e o operacional. Para um bom funcionamento da organização é preciso que os níveis estratégicotático e operacional estejam em sintonia.

A seguir, vamos explicar as diferenças entre os planejamentos estratégicotático e operacional e como eles se alinham para o melhor funcionamento da organização.

Vamos lá?

O que são os planejamentos estratégico, tático e operacional?

Entender o que é cada planejamento é o primeiro passo para garantir o crescimento planejado e constante da sua empresa.

Veja como funciona a hierarquia dos níveis estratégico, tático e operacional nas organizações:

Níveis do planejamento

 

nível estratégico está acima dos demais, sendo assim, é de responsabilidade de menos pessoas.

nível tático vem logo abaixo, servindo de elo de ligação para os níveis estratégico e operacional.

Enquanto isso, o nível operacional é visto na base da pirâmide, englobando a maioria da mão-de-obra e sendo responsável por fazer todos os processos rodarem dentro da empresa.

A seguir explicaremos mais detalhadamente cada um desses níveis, que geram cada um o seu próprio planejamento: os planejamentos estratégicotático e operacional.

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico se volta sempre para o futuro. É um processo contínuo que visa a tomada de decisões para atingir os objetivos-macros da organização.

Nele os responsáveis pensam nas melhores estratégias para toda a organização, como se fossem a cabeça de um grande polvo dando direcionamento para os seus diversos tentáculos.

É no nível do Planejamento Estratégico que é definida a alocação ou realocação de recursos da maneira mais eficiente, por exemplo.

Os planos criados nesse nível são para longo prazo, de 5 a 10 anos, e são de responsabilidade dos cargos mais altos, geralmente CEO, presidência e diretoria.

Nesse nível, é importante levar em conta os fatores internos e externos, incluindo o cenário econômico, a situação dos concorrentes e todos os elementos que podem interferir na sua projeção.

Aqui é interessante fazer uma análise SWOT, que mapeia as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças daquela empresa.

  • S: Stregths  (Forças): vantagens da empresa em relação aos concorrentes;
  • W: Weakness (Fraquezas): desvantagens da empresa em relação aos concorrentes;
  • O: Opportunities (Oportunidades): fatores externos com potencial de ajudar no crescimento da vantagem competitiva da empresa;
  • T: Threats (Ameaças): fatores externos que ameaçam o crescimento da empresa.

As forças fraquezas habitam o ambiente interno da organização, sendo assim considerados controláveis. Enquanto as oportunidades e ameaças dependem de fatores externos e portanto não podem ser controlados.

Dessa forma, é possível pensar estrategicamente nos próximos passos que a empresa vai tomar, sabendo qual cenário ela enfrentará.

No Brasil, a Análise SWOT também é chamada de Análise FOFA, pois é a palavra formada quando traduzimos os nomes dos fatores analisados.

É também no Planejamento Estratégico que são definidos a missão, a visão e os valores da empresa. Sendo:

  • Missão:  objetivo da empresa existir;
  • Visão: onde a empresa quer chegar em um determinado tempo;
  • Valores: princípios que devem ser seguidos por todos os que trabalham na organização para o crescimento da empresa.

Por exemplo, a empresa Netshoes tem como missão conectar as pessoas a uma vida com mais estilo e simplicidade. Sua visão é ser referência global em experiência de compras online, e seus valores são: paixão, inovação, sem limites, foco no resultado, olhar de dono, valorização das pessoas, agilidade e simplicidade.

Por serem feitos para um prazo muito longo, as ações propostas devem ser revisadas e atualizada frequentemente, visando a otimização dos resultados.

É importante que os responsáveis pelo PE não estejam envolvidos no planejamento tático e nem no operacional, para que eles realmente consigam pensar nas melhores estratégias para a organização.

Planejamento Tático

Enquanto o Planejamento Estratégico se preocupa em direcionar todas as macro-áreas da organização, o Planejamento Tático foca apenas em uma delas.

Ele é o planejamento pensado a nível departamental. Seu objetivo é criar metas para que sejam atingidos os propósitos criados no Planejamento Estratégico. É a transformação das definições do PE em planos concretos dentro das unidades da empresa.

Os responsáveis por esse nível são os gerentes das equipes e seus objetivos tem prazo médio serem postos em prática, geralmente entre 1 a 3 anos.

É importante que cada departamento saiba exatamente qual é a sua missão e como pode contribuir para o bom andamento da organização.

Vale ressaltar que o nível tático é a ponte entre o nível estratégico e o operacional, que falaremos a seguir.

Planejamento Operacional

nível operacional é o mais “baixo”, tendo como objetivo colocar em prática o que foi proposto no Planejamento Tático, em um curto período de tempo (geralmente entre 3 e 6 meses).

É no Planejamento Operacional que são definidos os métodos processos que deverão ser utilizados para a execução da tarefa.

Ele está focando no “o que fazer” e no “como fazer” as tarefas rotineiras da organização, de forma a garantir que tudo seja feito dentro dos padrões estipulados pela empresa.

Além disso, ele também define os responsáveis por cada tarefa. Os prazos, a divisão das tarefas e os recursos financeiros necessários para a execução de todas as atividades.

Geralmente nesse nível são criados planos de ação, fluxogramas, checklists e cronogramas, que auxiliam na realização dos trabalhos:

  • Plano de ação: documento que planeja todas as ações necessárias para atingir uma meta ou resolver um problema;
  • Fluxograma: gráfico que representa o fluxo de procedimentos que devem ser seguidos para alcançar um objetivo final;
  • Checklist: lista com tudo o que deve ser considerado para a realização de um determinado trabalho;
  • Cronograma: documento que mostra quando cada tarefa deve ser executada e seus deadlines.

Planejamento Operacional foca na eficiência e nos meios de maximizar o trabalho. Enquanto o estratégico e o tático focam no lugar em que a organização deseja chegar.

É importante entender que os planejamentos estratégicos, tático e operacional precisam estar em sintonia para que a empresa continue avançando.

Resumindo a relação entre os planejamentos estratégico, tático e operacional

A empresa define os objetivos estratégicos no Planejamento Estratégico. Os subdivide em objetivos práticos para cada setor no Planejamento Tático. E cria planos de ação para os objetivo operacionais no Planejamento Operacional.

Agora que você já entende as diferenças entre os níveis estratégicotático e operacional.

Que tal entender melhor quais são as vantagens do Planejamento Estratégico?

Veja só!

Quais são as reais vantagens do planejamento estratégico?

Vantagens do Planejamento Estratégico

Montar um planejamento estratégico (PE) não é exatamente a coisa mais fácil de se fazer nos trabalhos da gestão de uma empresa. Mas vale a pena, pois as vantagens do planejamento estratégico são muitas.

O planejamento estratégico é responsável por guiar os passos da organização durante um determinado período de tempo. Para que, ao final desse ciclo, os objetivos tenham sido alcançados.

Isso requer muito estudo sobre as particularidades da organização. Além de uma visão clara e objetiva de onde a empresa quer chegar.

As vantagens do planejamento estratégico vão muito além da formalização dos objetivos da empresa. Elas envolvem fatores operacionais e ajudam até na otimização do tempo.

Foco no estratégico

Com um planejamento estratégico montado e rodando dentro da organização, todas as ações tomadas serão decididas em cima do foco estratégico da empresa.

Ou seja, ideias que não estejam alinhadas com as estratégias e planos de ação da organização, serão imediatamente descartadas.

Dessa forma, reduz-se o tempo e o investimento gastos com ações que não darão o resultado pretendido.

Além disso, como o PE tem prazo de validade, ele estimula a sensação de urgência, não deixando os colaboradores se acomodarem e trazendo dinamismo à organização.

É por isso que as metas precisam ser alcançáveis e desafiadoras: para estimular os envolvidos a trabalharem duro em função dela.

Crescimento constante

Com o fim do ciclo do PE, os gestores montam um novo planejamento estratégico. Isso faz com que a empresa leve em consideração as mudanças no mercado e continue seu processo de crescimento e amadurecimento.

Manter um planejamento estratégico atualizado garante a motivação constante dos funcionários em busca de objetivos cada vez mais grandiosos.

Mais clareza nas contratações

Como já falamos anteriormente, o planejamento estratégico também auxilia na hora de escolher as novas contratações.

Grandes empresas, que tem seu foco no desenvolvimento de pessoas e garantem resultados expressivos, costumam ter um grande número de pessoas inscritas em seus processos seletivos.

Assim, um fator que deve ser observado e servir de critério eliminatório é o alinhamento dos valores pessoais do membro com os valores organizacionais da empresa.

Esse alinhamento deve ser levado em consideração independente do cargo pelo qual a pessoa está interessada: estágio, trainee, efetivação etc.

Mas vale lembrar que não é apenas nas grandes empresas que esse alinhamento deve existir. As micro e pequenas empresas também precisam que seus funcionários estejam alinhados com a cultura da organização para conseguirem crescer e ganhar espaço no mercado.

Agora que você já sabe as vantagens do planejamento estratégico e porque deve mantê-lo atualizado, aprenda a lidar com os problemas que podem envolver o PE.

Como resolver problemas com estratégia e organização

É muito comum vermos empresas com dificuldade de identificar e resolver problemas viciosos dentro da organização. Com o tempo, isso pode ser um risco para os negócios, na medida em que uma empresa não se sustenta apenas pela qualidade de seus produtos ou serviços mas também pela forma como ela se organiza e controla os seus processos.

Quer saber como resolver problemas com estratégia e organização? Continue lendo, pois vamos apresentar alguns direcionamentos que podem ajudar o seu negócio a encontrar a melhor solução.

Gestão focada em estratégia contínua

Esse deve ser um princípio básico para toda e qualquer empresa. Todo negócio deve estar sempre empenhado em otimizar seus processos e serviços, para assim tornar as práticas cada vez mais eficazes e as pessoas cada vez mais eficientes.

Para toda otimização da gestão do seu negócio é muito importante que você tenha uma estratégia clara definida. Sem ela, qualquer mudança que sua empresa vir a fazer será basicamente uma substituição. E não realmente uma evolução para o seu negócio.

Você deve, portanto, mapear e analisar os processos da organização. Encontre pontos que não têm sido produtivo, entenda o que está ocasionando essa situação. Para em seguida ter um embasamento para definir estratégias assertivas para a resolução do problema em questão.

Feito isso, você não pode acomodar acreditando que o problema foi solucionado. Esse problema em questão pode ter sido resolvido, mas outros virão e você deve estar preparado para eles. Por isso é importante a existência de um planejamento prévio com uma estratégia contínua de acompanhamento e análise de todas as etapas do processo de produção.

Quais são os fatores essenciais para uma boa gestão?

Existem diversos fatores que são importantes para que as empresas tenham embasamento para identificar problemas e criar estratégias capazes de solucioná-los. Confira uma lista com alguns deles:

  • Metas internas e externas;
  • Acompanhamento da evolução da equipe;
  • NPS;
  • Índice de Turnover.

Estratégia e Organização através da aplicação da Gestão de Qualidade

Todo empresa deve prezar por uma Gestão de Qualidade eficiente. Com ela é possível elaborar estratégias capazes de otimizar a produtividade do seu negócio. Portanto, a Gestão de Qualidade pode ser entendida como toda ação que irá otimizar determinado processo, serviço ou produto. São práticas contínuas que buscam otimizar todas as etapas operacionais da organização para que seja possível alcançar resultados sustentáveis que satisfaçam as expectativas e necessidades dos clientes.

Estratégia e Organização com a Mais

Empresas de alta produtividade têm uma cultura de alta performance que engaja e inspira seus colaboradores. E suas funções se alinham com uma estratégia vencedora. Nós acreditamos que essa estratégia de sucesso não se limita a definir objetivos. Ela propõe uma estrutura de  organização e processos que otimize a produtividade e coloque​ ​os​ ​líderes​ ​certos​ ​nas​ ​posições​ ​certas.

Quer saber mais sobre como resolver problemas com estratégia e organizaçãoFale com um consultor.

Leia também

Nossa localização

Faculdade de Engenharia - UFJF Rua José Lourenço Kelmer, s/n São Pedro, Juiz de Fora - MG